Ads Top

Mais uma queda do WhatsApp, Instagram, Messenger, evidenciam problemas de confiança em Zuckerbeg; WhatsApp vai mudar políticas de privacidade e se integrar com o Facebook em 15 de Maio de 2021


Após usuários do WhatsApp e da rede social Instagram relatarem queda no serviço no início da tarde desta sexta-feira (18), as redes voltaram a funcionar por volta das 15h10. A versão web do aplicativo de mensagens também enfrentava problemas e já está normalizada. 


No Twitter, a queda dos aplicativos já constava entre os assuntos mais comentados – a instabilidade do WhatsApp tinha mais de um milhão de menções na rede social.


O Messenger, que assim como o WhatsApp e o Instagram pertencem ao Facebook, também enfrentava instabilidade. 

O site Downdetector, que monitora o funcionamento de serviços online e reúne relatos de problemas e instabilidades, registrou um pico de reclamações sobre o WhatsApp a partir das 14 horas desta sexta-feira. 


Nos comentários, usuários do Instagram também relatavam problemas. 


Entre os problemas mais relatados no Downdetector estavam o acesso ao WhatsApp e o envio de mensagens. Cerca de 28% das reclamações, até às 15 horas, relatavam falha geral ao acessar o aplicativo. 


Sobre o assunto, um porta-voz do Facebook afirmou que houve "uma instabilidade técnica que fez com que as pessoas tivessem dificuldade para acessar alguns serviços do Facebook. Essa questão já está resolvida".


Os aplicativos do WhatsApp e Instagram tiveram instabilidade nesta sexta-feira. Os problemas da rede social e do app de mensagens aconteceram tanto na versão mobile quanto na web. Mais do que prejuízos para os usuários, a queda pode afetar diretamente o bolso do bilionário Mark Zuckerberg, CEO e fundador do Facebook? 


A resposta é incerta. Não existe, até o momento, um cálculo específico sobre os efeitos das quedas na receita anual do Facebook. O que se sabe é que, dos US$ 28 bilhões de faturamento da companhia no último trimestre de 2020, US$ 27,1 bilhões estavam ligados a publicidades veiculadas nas redes sociais. As falhas nos apps, portanto, podem acabar impactando a receita dos anúncios.


Analistas lembram que, da outra vez que aconteceram problemas no WhatsApp, aplicativos como o Signal e o Telegram cresceram. "O usuário quer que o serviço esteja sempre disponível. Você usa a tecnologia porque ela está sempre ali, quando ela começa a cair muito, você começa a pensar em alternativas", diz. 


As instabilidades podem impactar diretamente o bolso dos comerciantes que anunciam no Facebook e no Instagram. Se as redes parassem de funcionar por um dia, os negócios poderiam perder cerca de R$ 9 mil, de acordo com uma estimativa feita pelo professor Mendes a partir de dados da companhia Pedzap, a pedido do CNN Brasil Business.


Em um mês, o valor saltaria para R$ 263.157,89 — dinheiro que, principalmente em meio à crise econômica, é essencial. 


A falha no WhatsApp não podia vir em um momento mais confuso para o app de mensagens. Metido em controvérsias desde o ano passado, o WhatsApp pretende compartilhar dados da versão sua Business com o Facebook. Isso está previsto para acontecer no dia 15 de maio deste ano.

A decisão fez com que houvesse uma debandada do app de Zuckerberg rumo a outros aplicativos que, na teoria, coletam menos dados dos usuários. 

Com a queda desta sexta, as piadas sobre migrar para o Telegram voltaram firmes e fortes. Em fevereiro, o rival do WhatsApp foi o aplicativo mais baixado no mundo, com 63 milhões de downloads, quase 4 milhões a mais do que o "zapzap", segundo a consultoria SensorTower

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.