Ads Top

Governo de Biden prepara ataque Cibernético contra a Rússia, Kremlin desativa site por precaução; PUTIN deve contra atacar caso algo de fato ocorrer

Os Estados Unidos estão se preparando para tomar medidas contra a Rússia depois de concluir que provavelmente estava envolvido em um grande ataque cibernético a sistemas governamentais e empresas nacionais, informou o The New York Times no domingo 07 de Março de 2021. 

A Casa Branca confirmou que tomará "uma mistura de ações" em resposta ao ataque cibernético.

A mudança vem quando o governo começa a lidar com a revelação de outro ataque supostamente patrocinado pelo Estado que parece vir da China.


Os Estados Unidos estão se preparando para tomar medidas contra a Rússia depois de concluir que provavelmente estava envolvido em um grande ataque cibernético que afetou sistemas governamentais e empresas nacionais, informou o The New York Times no domingo. A mudança ocorre quando o governo Biden começa a lidar com a revelação de outro ataque supostamente patrocinado pelo Estado que parece vir da China.

A Casa Branca confirmou que tomará "uma mistura de ações" em resposta ao ataque cibernético da Rússia, embora não tenha fornecido detalhes sobre quando e como o faria.

"Como dissemos, responderemos ao hack do Solar[W]inds com uma mistura de ações vistas e invisíveis", disse a secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, em declaração à CNBC. "Não discutiremos publicamente certos aspectos de nossa resposta."

Os EUA estão se recuperando do ataque descoberto há alguns meses através da empresa de TI SolarWinds. Autoridades dos EUA disseram acreditar que os russos estavam por trás da violação,que impactou várias agências governamentais que usam a tecnologia.

A primeira das ações dos EUA pode vir nas próximas três semanas, disseram autoridades não identificadas ao Times, e iniciar uma série de ações na Rússia que deveriam ser notadas pelo presidente Vladimir Putin e sua equipe de inteligência, mas não pelo público. Os EUA também se moveriam para impor sanções econômicas e o presidente Joe Biden assinaria uma ordem executiva para fortalecer as redes governamentais, disseram as autoridades.

A notícia vem dias depois que a Microsoft divulgou uma nova grande violação de seus serviços ligados a hackers na China. Uma fonte familiarizada com a resposta do governo dos EUA disse à Reuters na sexta-feira que mais de 20.000 organizações dos EUA foram comprometidas com o ataque. A investigação dos EUA descobriu que governos municipais e cooperativas de crédito estavam entre os impactados, de acordo com a Reuters. A Microsoft não divulgou o escopo exato dos ataques, mas inicialmente disse que eles eram "limitados e direcionados".

SITE DO KREMLIN É DESATIVADO APÓS SABEREM DE DETERMINADA INFORMAÇÃO


O site do Kremlin caiu dias depois que os EUA alertaram para um ataque cibernético contra a Rússia. Os sites do Governo, do primeiro-ministro, de Roskomnadzor e de outros departamentos de Estado não foram abertos na manhã de quarta-feira. Vem depois de relatos de que os EUA estavam preparando um ataque cibernético de retaliação contra a Rússia. Funcionários da Casa Branca disseram ao New York Times que o primeiro grande movimento é esperado para as próximas três semanas e que o governo estava planejando uma "série de ações clandestinas em todas as redes russas".

Fontes disseram que as ações seriam menos evidentes para pessoas de fora, mas enviariam um sinal claro ao presidente Vladimir Putin e seus funcionários. Eles acrescentaram que os ataques cibernéticos poderiam ser combinados com mais sanções econômicas. Espera-se também que o presidente Joe Biden assine uma ordem executiva para fortalecer as redes governamentais para reprimir o crescente conflito cibernético.

Autoridades de segurança dos EUA concluíram em janeiro que a Rússia provavelmente estava envolvida em ataques generalizados da SolarWinds Orion que afetaram muitas agências governamentais e empresas privadas. A secretária de imprensa da Casa Branca, Jen Psaki, confirmou à CNBC que o Governo está se preparando para tomar "uma mistura de ações vistas e invisíveis" em resposta aos ataques da Rússia. Ela não forneceu detalhes, dizendo ao canal de notícias: "Não discutiremos publicamente certos aspectos de nossa resposta." A Rússia rejeitou as acusações de que teve qualquer envolvimento em ataques cibernéticos contra os EUA. Na terça-feira (09/03), alertou a administração Biden contra seus planos de retaliação.


Com informações de CNBC e METRO UK

TRADUÇÃO: BDN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.