Ads Top

Escurecer o sol poderia ajudar a resfriar a Terra? Bill Gates quer pulverizar milhões de toneladas de Carbonato de Cálcio na estratosfera para bloquear a luz solar, ISTO SERÁ DESASTROSO!

 

O projeto verá um lançamento de balão de teste neste verão da cidade de Kiruna

Ele enviará 2kg de Carbonato de Cálcio para a estratosfera 12 milhas acima da superfície da Terra

Os cientistas então monitorarão quem as partículas de poeira interagem com a atmosfera

Isso será alimentado em modelos de computador para prever como uma pluma maior funcionaria

A ideia é 'bloquear' parte da energia do sol para resfriar a Terra.


O primeiro teste de um projeto apoiado para pulverizar milhões de toneladas de Carbonato de Cálcio na estratosfera, na tentativa de "escurecer o sol" e resfriar a Terra, poderia acontecer em junho.


Especialistas da Universidade de Harvard testarão o sistema enviando um grande balão 12 milhas acima da cidade sueca de Kiruna e o farão jogar 2kg de pó de Carbonato de Cálcio na estratosfera.


O objetivo da missão estimada em US$ 3 milhões, apoiada pelo bilionário Bill Gates, é fazer com que o Carbonato de Cálcio desvie uma parte da radiação solar, impeça-o de atingir a superfície e esfrie o planeta.


A ideia tem sido fortemente criticada desde sua criação, com o diretor do projeto Frank Keutsch até chamando a necessidade dessa escala de geoengenharia de "aterrorizante".


E especialistas alertaram que a técnica incomum pode ser desastrosa para os sistemas climáticos de maneiras que ninguém pode prever.


Apoiada por uma série de doadores privados, incluindo Gates, a missão de teste está sendo lançada da Suécia, pois eles poderiam oferecer um lançamento até o final deste verão.


O balão de teste levantará 600kg de equipamento científico 12 milhas acima da superfície da cidade ártica e se tudo correr bem, cerca de 2kg de poeira serão liberados.


Isso criará então uma pluma de poeira de vários quilômetros de comprimento - não grande o suficiente para ter qualquer efeito sobre a intensidade dos raios solares atingindo a Terra.


Durante o primeiro teste, a equipe reuniria informações sobre como partículas de poeira reagem com o ar.



Isso poderia então ser alimentado em modelos de computador para determinar o que aconteceria se fosse realizado em escala.


Keutsch disse ao Times que quer determinar os verdadeiros efeitos, já que os modelos atuais "podem ser muito otimistas" e fazer com que a técnica pareça atraente.


Seria preciso toneladas de poeira e plumas muitas centenas de quilômetros para fazer a diferença - a teoria é que a poeira criaria um maciço teto solar.


Isso refletiria alguns dos raios solares e o calor de volta ao espaço, escurecendo aqueles que passam e assim protegendo a Terra das devastações do aquecimento climático.


Keutsch, cujo laboratório de Harvard está liderando o projeto, diz que a estratégia só seria implantada em desespero para impedir que partes do planeta se tornassem inabitáveis.


Sem qualquer esforço para parar as mudanças climáticas, como restrições às emissões de gases de efeito estufa de combustíveis fósseis e outros poluentes, partes do mundo estarão até 10 graus Fahrenheit mais quentes do que são hoje, mostram estudos.

Isso deixaria partes do planeta inabitáveis pelos humanos, incluindo áreas da Austrália onde as temperaturas máximas já superam os 123 graus Fahrenheit.


No entanto, os críticos do conceito de nuvem de poeira dizem que isso dá aos políticos uma desculpa para não tomar as medidas difíceis necessárias para combater adequadamente as mudanças climáticas.


O professor da Universidade de Edimburgo, Stuart Haszeldine, disse ao Times que bloquear o sol não faria nada para remover a principal causa do aquecimento global.



"Esfriaria o planeta refletindo a radiação solar, mas uma vez que você está nisso, é como tomar heroína - você tem que continuar fazendo a droga para continuar tendo o efeito", disse ele.


Ele explicou que, sem combater a poluição primeiro, teríamos que continuar levantando mais e mais poeira na estratosfera, o que mudaria o céu diurno para branco e se parasse, haveria um aumento das temperaturas globais novamente.


Sir David King, da Universidade de Cambridge, disse ao The Times que deveria haver uma moratória sobre a implantação da técnica.


Ele disse que poderia ser desastroso para os sistemas meteorológicos de maneiras que ninguém pode prever, então os dados devem ser coletados através de modelagem e outras técnicas.


Keutsch disse que é exatamente o que eles estão fazendo com este teste. Enviar uma pequena pluma suficiente não para causar um problema, mas o suficiente para alimentar a modelagem.


David Keith, membro da equipe de estudo, disse que a ideia era usar a técnica ao lado de outras medidas, e não como uma solução por si só.


Acrescentando que "compraria ao mundo algum tempo" enquanto enfrentava o problema mais amplo da poluição, incluindo encontrar tecnologias que possam retirar o carbono da atmosfera.


"O fato é que, quaisquer opiniões que eu ou outras pessoas da minha geração tenham sobre engenharia solar, incluindo pessoas que pensam que nunca e nunca podem ser usadas, não somos nós que vamos decidir", disse ele ao Times.


"A decisão que enfrentamos agora é se vamos estudá-la seriamente. E, do meu ponto de vista, fazer uma investigação séria sobre quais são seus riscos e quão bem poderia funcionar fornece à próxima geração melhores informações para tomar uma decisão mais informada."


Há uma série de teorias de geoengenharia sendo propostas, incluindo "culturas e edifícios mais brilhantes para refletir mais luz solar", micro-bolhas no oceano e remoção de nuvens cirrus.


Outras propostas incluem espelhos gigantes baseados no espaço e pulverização de sal marinho no céu para tornar as nuvens mais reflexivas.


AS ORIGENS POR TRÁS DA GEOENGENHARIA SOLAR COM PLUMAS DE POEIRA

A inspiração por trás da semeadura do céu com plumas de poeira veio do vulcão Monte Pinatubo, nas Filipinas, que explodiu em 1991.


Matou mais de 700 pessoas e deixou mais de 200.000 desabrigados, mas também deu aos cientistas a chance de monitorar as consequências de uma vasta nuvem química na estratosfera.


O vulcão desgorged 20 milhões de toneladas de dióxido de enxofre acima da terra, onde formou gotículas de ácido sulfúrico que flutuaram ao redor do globo por mais de um ano.


Essas gotículas agiram como pequenos espelhos para refletir a luz solar e, como resultado, as temperaturas globais foram reduzidas em 0,5c por cerca de um ano e meio.


Isso deu impulso a uma ideia de um sonho "correção" do aquecimento global - e tem sido objeto de pelo menos 100 trabalhos acadêmicos.


Mas criar o que equivale a um gigantesco teto solar para a Terra pode vir a um preço alto, representando riscos ainda maiores do que a própria mudança climática.


Um medo é que espalhar poeira na estratosfera possa danificar a camada de ozônio que nos protege da radiação ultravioleta perigosa que pode danificar o DNA humano e causar cânceres.


Os climatologistas também estão preocupados que tais ajustes possam involuntariamente interromper a circulação das correntes oceânicas que regulam nosso clima.


Isso poderia desencadear um surto global de eventos climáticos extremos que poderiam devastar terras agrícolas, exterminar espécies inteiras e promover epidemias de doenças.


O potencial para o desastre nem termina aí. Tentar diminuir os raios solares provavelmente criaria vencedores e perdedores climáticos.


Os cientistas podem ser capazes de definir as condições climáticas perfeitas para os agricultores no vasto Centro-Oeste da América, mas ao mesmo tempo este cenário pode causar estragos de seca em toda a África.


Pois não é possível mudar a temperatura em uma parte do mundo e não perturbar o resto. Tudo no clima do mundo está interconectado.


Além disso, qualquer mudança na temperatura média global mudaria, por sua vez, a forma como o calor é distribuído ao redor do globo, com alguns lugares aquecendo mais do que outros.


Isso, por sua vez, afetaria os níveis de chuva. O calor impulsiona o ciclo da água — no qual a água evapora, forma nuvens e cai como chuva. Qualquer alteração de calor causaria uma mudança nos padrões de chuva. Mas como e onde exatamente?


Não há como prever como o clima de longo prazo do mundo pode responder a ter um gigantesco sombra químico em cima dele.


Pensem nos milhões de pessoas que serão afetados com novas doenças, pois com o bloqueio dos raios solares na terra, vitaminas importantes para nosso corpo não mais existirão. William Henry Gates III está seguindo as diretrizes das pedras guias da Geórgia, para uma imensa redução de Seres Humanos. 


Quando o homem quer inventar algo absurdo, o Criador sempre intervém. Foi assim na Torre de Babel, e a qualquer momento em breve. 




LEIA TAMBÉM: Animação mostra o quão Bill Gates sempre foi maquiavélico

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.