Ads Top

Assim como uma cena do filme ¨Minority Report¨, Aeroportos nos Emirados Árabes Unidos já estão usando passaportes com escaneamento da Íris dos olhos para permitir os Passageiros Embarquem



"O futuro está chegando", disse o major-general Obaid Mehayer Bin Suroor, vice-diretor da Direção Geral de Residência e Relações Exteriores. "Agora, todos os procedimentos se tornaram 'inteligentes', em torno de cinco a seis segundos."

Lembra daquele grande filme de ficção científica 'Minority Report' com os outdoors falantes e as varreduras de íris que permitiram acesso e entrada para tudo? Bem-vindo ao futuro, está nos alcançando a uma taxa alarmante. No aeroporto internacional mais movimentado do mundo, localizado em Dubai, os passageiros agora são processados para embarque não com papel ou mesmo passaportes digitais, mas com varreduras de íris sem contato. Está começando a ver como será o sistema Marca da besta? Ele já está aqui se iniciando. 

A crise do COVID é o acelerador que está empurrando toda essa tecnologia para o overdrive dos tempos finais, e trazendo-a para uso comum anos antes do esperado. Logo você não vai se lembrar como era a vida sem escanear sua íris para embarcar em um avião... ou comprar mantimentos... ou fazer qualquer coisa em tudo. E quando eles disserem que é o novo normal, você vai acreditar neles. Lembra-se de anos atrás, quando você foi salvo pela primeira vez, e as pessoas lhe disseram que isso estava chegando e você jurou que nunca faria parte disso? Você está prestes a ter a sua chance de ver o quão bem você pode funcionar fora do sistema.


No aeroporto de Dubai, os olhos dos viajantes se tornam seus passaportes

DA TECHXPLORE: O aeroporto de Dubai, o mais movimentado do mundo para viagens internacionais, já pode parecer surreal, com suas lojas cavernosas sem impostos, palmeiras artificiais, terminais brilhantes, cascatas de água e níveis quase árticos de ar condicionado. Agora, o principal centro de trânsito leste-oeste está lançando outra adição do reino da ficção científica — um scanner de íris que verifica a identidade de alguém e elimina a necessidade de qualquer interação humana ao entrar ou sair do país.


É o mais recente programa de inteligência artificial que os Emirados Árabes Unidos lançaram em meio à crescente tecnologia de pandemia coronavírus, sem contato que o governo promove como ajudando a conter a propagação do vírus. Mas os esforços também renovaram questões sobre vigilância em massa na federação de sete xeques, que especialistas acreditam ter entre as maiores concentrações per capita de câmeras de vigilância do mundo.


O AEROPORTO DE DUBAI COMEÇOU A OFERECER O PROGRAMA A TODOS OS PASSAGEIROS NO MÊS PASSADO. NO DOMINGO, OS VIAJANTES SE APRESENTARAM A UM SCANNER DE ÍRIS DEPOIS DE FAZER O CHECK-IN, DERAM UMA BOA OLHADA E PASSARAM PELO CONTROLE DE PASSAPORTE EM SEGUNDOS. FORAM-SE OS DIAS DE BILHETES DE PAPEL OU APLICATIVOS DE TELEFONE DESAJEITADOS.


Nos últimos anos, aeroportos em todo o mundo aceleraram seu uso de tecnologia de reconhecimento facial para mover passageiros para seus voos. Mas a varredura de íris de Dubai melhora os portões automatizados mais comuns vistos em outros lugares, disseram as autoridades, conectando os dados de íris aos bancos de dados de reconhecimento facial do país para que o passageiro não precise identificar documentos ou cartão de embarque. A parceria incomum entre a transportadora de longa distância Emirates, de propriedade de um fundo soberano de Dubai, e o escritório de imigração de Dubai integra os dados e transporta os viajantes do check-in para o embarque de uma só vez, acrescentaram.


"O FUTURO ESTÁ CHEGANDO", DISSE O MAJOR-GENERAL OBAID MEHAYER BIN SUROOR, VICE-DIRETOR DA DIREÇÃO GERAL DE RESIDÊNCIA E RELAÇÕES EXTERIORES. "AGORA, TODOS OS PROCEDIMENTOS SE TORNARAM 'INTELIGENTES', EM TORNO DE CINCO A SEIS SEGUNDOS."


Mas, como toda tecnologia de reconhecimento facial, o programa aumenta os temores de desaparecimento da privacidade no país, que tem enfrentado críticas internacionais por ter como alvo jornalistas e ativistas de direitos humanos.


De acordo com Declaração de privacidade biométrica da Emirates, a companhia aérea vincula os rostos dos passageiros com outros dados de identificação pessoal, incluindo informações de passaporte e voo, retendo-os para "desde que seja razoavelmente necessário para os fins para os quais foi coletado". O acordo ofereceu poucos detalhes sobre como os dados serão usados e armazenados, além de dizer que, embora a empresa não tenha dado cópias dos rostos dos passageiros, outros dados pessoais "podem ser processados em outros sistemas da Emirates".


Apesar das preocupações com a vigilância excessiva nos Emirados Árabes Unidos, a vasta rede de reconhecimento facial do país só mostra sinais de expansão. No mês passado, o primeiro-ministro Sheikh Mohammed bin Rashid Al Maktoum, que também atua como governante de Dubai, anunciou que o país iniciaria testes de nova tecnologia de reconhecimento facial para reduzir a papelada em "alguns serviços do setor privado", sem elaborar. LEIA MAIS


fonte: NTEB

Tradução: BDN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.