Ads Top

GRANDE ACONTECIMENTO NO EIXO FINAL ANTES DA TERCEIRA GUERRA MUNDIAL: Irã e China assinam parceria estratégica abrangente de 25 anos



O acordo com a China marcou a primeira vez que o Irã assinou um acordo tão longo com uma grande potência mundial. Em 2001, o Irã e a Rússia assinaram um acordo de cooperação de 10 anos, principalmente no campo nuclear, que foi ampliado para 20 anos através de duas prorrogações de cinco anos. O New York Times informou que a China investirá cerca de US$ 400 bilhões no Irã em troca de petróleo como parte do acordo. Os dois países também intensificarão a cooperação militar com treinamento conjunto, pesquisa e compartilhamento de inteligência.

rã e China assinaram no sábado um acordo de cooperação estratégica de 25 anos que trata de questões econômicas em meio a sanções incapacitantes dos EUA a Teerã, de acordo com a mídia estatal iraniana.

Sob Donald Trump, A América estava no controle total do Oriente Médio, fazendo coisas como declarar Jerusalém como a capital de Israel, criar os Acordos de Abraão e verificar as ambições ditatoriais de nações como o Irã em xeque. Sob a presidência do cavalo de Tróia de Joe Biden, que abandonou o Oriente Médio e especialmente Israel, existe agora um vácuo de poder que a China está muito ansiosa para intervir e preencher. Ontem, a China assinou a Parceria Estratégica Abrangente com o Irã, e o equilíbrio de poder no Oriente Médio muda mais uma vez.


"Então, os três espíritos se reuniram em um lugar que, em hebraico, é chamado Armagedom. O sétimo e último flagelo" Apocalipse 16:16 (KJB)


Os Estados Unidos devem diminuir, essa é uma conclusão precipitada, e as potências das trevas como Irã, China, Coreia do Norte, Rússia e todos os outros que lemos em Ezequiel 39 devem aumentar. Naturalmente, uma das primeiras coisas a acontecer depois que assinaram foi discutir o Irã hospedando conversações diretas entre Israel e os palestinos. Desculpe-me enquanto reviro meus olhos com choque e surpresa. Ezequiel 39 bem na pista, voo #777 se preparando para a decolagem.


O acordo, apelidado de Parceria Estratégica Abrangente, abrange uma variedade de atividade econômica, desde petróleo e mineração até a promoção da atividade industrial no Irã, bem como o transporte e colaborações agrícolas, segundo o relatório. Nenhum detalhe adicional do acordo foi revelado, pois o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, e o homólogo chinês Wang Yi participaram de uma cerimônia que marcou o evento.


O New York Times informou que a China investirá cerca de US$ 400 bilhões no Irã em troca de petróleo como parte do acordo. Os dois países também intensificarão a cooperação militar com treinamento conjunto, pesquisa e compartilhamento de inteligência, disse o relatório. A China é o principal parceiro comercial do Irã e foi um dos maiores compradores de petróleo iraniano antes que o então presidente dos EUA, Donald Trump, reimpôs sanções unilaterais em 2018 depois de abandonar um acordo nuclear multilateral com Teerã.


O acordo assinado no sábado poderia minar a influência dos EUA sobre o Irã antes das negociações esperadas e diminuir a influência americana no Oriente Médio. As sanções contínuas dos EUA contra o Irã podem dificultar seu comércio com a China, apesar do acordo de sábado, no entanto.


O relatório do Times disse que o Irã estava preparado para sediar conversações diretas entre Israel e os palestinos, sugerindo ainda que a influência dos EUA na região poderia estar diminuindo.


"ACREDITAMOS QUE ESTE DOCUMENTO PODE SER MUITO EFICAZ NO APROFUNDAMENTO" DAS RELAÇÕES IRÃ-CHINA, DISSE O PORTA-VOZ DO MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DO IRÃ, SAEED KHATIBZADEH, LEMBRANDO QUE O PACTO HAVIA SIDO PROPOSTO PELA PRIMEIRA VEZ DURANTE UMA VISITA A TEERÃ PELO PRESIDENTE CHINÊS XI JINPING EM JANEIRO DE 2016.


Xi e seu homólogo iraniano Hassan Rouhani concordou então em estabelecer um roteiro para "investimentos recíprocos nos campos de transporte, portos, energia, indústria e serviços".


"O GOVERNO E AS PESSOAS DO IRÃ ESTÃO SE ESFORÇANDO, COMO SEMPRE FIZERAM, PARA AMPLIAR AS RELAÇÕES COM PAÍSES CONFIÁVEIS E INDEPENDENTES COMO A CHINA", DISSE O LÍDER SUPREMO AIATOLÁ ALI KHAMENEI NA ÉPOCA, DESCREVENDO O ACORDO DE COOPERAÇÃO PROPOSTO COMO "CORRETO E RAZOÁVEL".


Xi defendeu a Iniciativa Belt and Road, um plano para financiar projetos de infraestrutura e aumentar a influência da China no exterior.


O acordo com a China marcou a primeira vez que o Irã assinou um acordo tão longo com uma grande potência mundial. Em 2001, o Irã e a Rússia assinaram um acordo de cooperação de 10 anos, principalmente no campo nuclear, que foi ampliado para 20 anos através de duas prorrogações de cinco anos. LEIA MAIS


Irã e China assinam acordo de cooperação de 25 anos

China e Irã, ambos sujeitos a sanções dos EUA, assinaram um acordo de cooperação de 25 anos no sábado para fortalecer sua aliança econômica e política de longa data.

Fonte: NTEB

TRADUÇÃO: BDN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.