Ads Top

O ATENTADO ISLÂMICO EM CATEDRAL DE NICE, NA FRANÇA; EMMANUEL MACRON AGENTE PROVOCADOR DE PIKE

Três pessoas foram mortas a facadas e uma delas foi degolada em ataque realizado por um desconhecido em uma igreja católica em Nice, na Riviera francesa, nesta quinta-feira (29). Há feridos. Segundo testemunhas o ataque foi perpetrado aos gritos de “Allahu Akbar” [Alá é Grande]. Policiais abateram a tiros o assassino, que chegou a ser levado a um hospital.


Na véspera, o Relator da ONU para o Encontro das Civilizações, e ex-ministro das Relações Exteriores da Espanha, Miguel Ángel Moratinos, havia advertido que “insultar religiões e símbolos religiosos sagrados provocam ódio e extremismo violento, levando à polarização e fragmentação da sociedade”.

Declaração que se seguiu a protestos em muitos países islâmicos contra insultos ao profeta Maomé, cometidos sob o pretexto de ‘defesa da liberdade de expressão’. Moratinos defendera, ainda, “o respeito mútuo por todas as religiões e crenças”.


Nessa quinta-feira era comemorado um feriado muçulmano dedicado ao aniversário de Maomé.


O presidente Emmanuel Macron foi a Nice para expressar a solidariedade do povo francês às famílias atingidas. O Conselho de Defesa foi convocado e o alerta antiterrorismo foi elevado para nível máximo.

Segundo a imprensa local, as vítimas são um homem e uma mulher – esta, decapitada. Uma terceira vítima, conseguiu fugir da igreja e se esconder em um comércio ali perto, mas morreu em decorrência dos ferimentos.


Em Paris, os deputados na Assembleia Nacional observaram um minuto de silêncio em solidariedade com as vítimas. A prefeita da capital, Anne Hidalgo, disse que o povo de Nice “pode contar com o apoio da cidade de Paris e dos Parisienses”.

Em paralelo, um homem de origem afegã, que tem problemas mentais, foi detido na parte da manhã na cidade de Lyon, na França, com uma faca de 30 centímetros, enquanto tentava entrar em um bonde. Ele relatou aos policiais ter ouvido vozes ordenando matar pessoas.


Na Arábia Saudita, um homem que atacou com um objeto cortante um guarda de segurança do Consulado da França na cidade de Jeddah foi preso.


ATAQUE “ODIOSO E BRUTAL“


O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, condenou o atentado em Nice e manifestou solidariedade à população e ao governo da França, declarou seu porta-voz, Stéphane Dujarric, em Nova York.


“Toda Europa está com vocês”, afirmou o presidente do Conselho europeu, Charles Michel. A presidente da Comissão Europeia, o órgão executivo da União Europeia, Ursula von der Leyen, rechaçou “o ataque odioso e brutal” e pediu unidade dos países do bloco contra “a barbárie e o fanatismo”.

O presidente russo Vladimir Putin enviou a Macron mensagem de condolências em que assinala “particular indignação particular pelo crime cínico e cruel cometido dentro das paredes de uma igreja”. “O conceito de moralidade humana é absolutamente estranho aos terroristas”, enfatizou o líder russo. “É óbvio que a luta contra o terrorismo internacional requer uma real união de esforços de toda a comunidade mundial”.


Anteriormente Moscou havia se solidarizado com os franceses sobre o caso do professor decapitado, mas alertado sobre os insultos a símbolos religiosos.


O governo turco – que tem estado em uma queda de braço com Paris ao condenar a islamofobia – rechaçou “energicamente” o crime. 


“Aqueles que “organizaram um ataque tão brutal em um lugar sagrado de culto não respeitam os valores religiosos, humanitários e morais”, acrescentou o comunicado, que repudiou o “terrorismo e a violência”.


NÃO DEIXE DE VER: 

MACRON, O AGENTE PROVOCADOR DOS PLANOS DE PIKE


Uma das vítimas era Brasileira


O Ministério das Relações Exteriores do Brasil informou na noite desta 5ª feira (29.out.2020) que uma das três vítimas do ataque em Nice era brasileira. O atentado aconteceu na manhã desta 5ª em uma igreja da cidade, que fica no sul da França.

A vítima tinha 40 anos, era residente francesa e mãe de 3 filhos. O Ministério afirmou que o governo brasileiro presta “solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença”. “O governo brasileiro deplora e condena veementemente o atroz atentado ocorrido”, divulgou a pasta.




Eis a íntegra da nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores:


“O governo brasileiro deplora e condena veementemente o atroz atentado ocorrido hoje dentro da Basílica Notre-Dame de Nice, na França, onde 1 terrorista assassinou três pessoas.


O governo brasileiro informa, com grande pesar, que uma das vítimas fatais era uma brasileira de 40 anos, mãe de 3 filhos, residente na França. O presidente Jair Bolsonaro, em nome de toda a nação brasileira, apresenta suas profundas condolências aos familiares e amigos da cidadã assassinada em Nice, bem como aos das demais vítimas, e estende sua solidariedade ao povo e Governo franceses.


O Brasil expressa seu firme repúdio a toda e qualquer forma de terrorismo, independentemente de sua motivação, e reafirma seu compromisso de trabalhar no combate e erradicação desse flagelo, assim como em favor da liberdade de expressão e da liberdade religiosa em todo o mundo.


Neste momento, o Governo brasileiro manifesta em especial sua solidariedade aos cristãos e pessoas de outras confissões que sofrem perseguição e violência em razão de sua crença.


O Itamaraty, por meio do Consulado-Geral em Paris, presta assistência consular à família da cidadã brasileira vítima do ataque terrorista“.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.