Ads Top

O ataque terrorista em Nice, tem com o Governo Turco de Recep Erdogan?



Um ataque terrorista a uma igreja na França na quinta-feira seguiu-se a uma semana de incitamento turco, incluindo o uso de meios de comunicação de massa na Turquia para pressionar por “retaliação” contra a França, como boicotes, ataques ao presidente francês Emmanuel Macron, insultos e reclamações dirigidas contra uma revista francesa e comparando a França às “Cruzadas”.


Aparentemente, Ancara conseguiu radicalizar pelo menos uma pessoa para atacar os fiéis.


Um “homem empunhando uma faca na quinta-feira matou três pessoas e feriu várias outras em um ataque na Basílica de Notre-Dame de Nice, no sul da França”, informou o France24. O prefeito de Nice chamou isso de ato de terrorismo.


Os métodos usados ​​para assassinar um dos membros da igreja foram “aqueles usados ​​contra o corajoso professor”, de acordo com o The National, um jornal diário privado em inglês publicado nos Emirados Árabes Unidos. Esta é uma referência a Samuel Paty, um professor que foi decapitado há quase duas semanas por um adolescente depois que o pai de um aluno o incitou por supostamente mostrar desenhos animados em sala de aula.


A Turquia lançou uma campanha de incitamento contra a França dirigida por seu Partido AK e dirigida por sua máquina de mídia pró-governo, como o Daily Sabah, a Agência Anadolu e a TRT (Corporação de Rádio e Televisão Turca). O presidente turco Recep Tayyip Erdogan incitou Macron, alegando que ele está mentalmente perturbado, mesmo enquanto a Turquia ameaçava com ação legal contra a revista Charlie Hebdo por publicar desenhos animados.


Ancara tentou empurrar esta crise, embora os desenhos animados tenham sido publicados cinco anos atrás, para alegar que está “defendendo o Islã”. Isso levou a protestos em Bangladesh e em outros lugares por islâmicos de extrema direita, parte das redes da Irmandade Muçulmana às quais o partido governante de Ancara está ligado.


O objetivo da Turquia é criar uma crise com a França e alavancar os jovens suscetíveis à radicalização a realizarem ataques como forma de tentar forçar Paris a fazer o que Ancara deseja.


No passado, a Turquia invadiu a maioria de seus vizinhos e atacou manifestantes pacíficos em Washington, além de realizar assassinatos extrajudiciais e entregas na Europa e na Síria.


Os extremistas islâmicos devem ser detidos e os radicais devem ser confrontados, disseram autoridades francesas. A Turquia se agarrou a isso para alimentar uma crise que agora levou a um ataque terrorista mortal.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.