Ads Top

Recusa do rabino chefe David Lau em autorizar novas conversões ao judaísmo é sinal iminente da chegada do ¨messias¨

O rabino-chefe David Lau disse ao primeiro-ministro Naftali Bennett que não autorizaria nenhuma conversão ao judaísmo até que o ministro religioso Matan Kahana interrompa seus planos de fazer mudanças no processo de conversão. Kahana ‘pretende descentralizar o processo, concedendo autoridade aos rabinos locais para processar as conversões. Kahana anunciou sua intenção de substituir o Rabino Moshe Weller, o chefe da Autoridade de Conversão do Rabinato Chefe, a fim de iniciar esta mudança. 



A conversão ao judaísmo é um processo longo e difícil. Os convertidos são considerados judeus em todos os aspectos e, portanto, são elegíveis para a cidadania israelense sob o Direito de Retorno. As reformas do processo defendidas por MK Kahana foram enfatizadas em uma carta do Rabino Chefe David Lau ao Primeiro Ministro Naftali Bennett.


“O novo esquema para conversões causará uma fenda significativa no povo judeu que será impossível de reparar”, escreveu o rabino Lau. “No futuro, os judeus serão forçados a enfrentar a questão de” Quem é judeu? ” – com quem alguém pode se casar e com quem não, D’us não o permita ”.


Rabino Lau observou que as reformas de Kahana incluíam conceder aos rabinos locais a autoridade para estabelecer tribunais de conversão, “a fim de converter dezenas e centenas de milhares de cidadãos israelenses que são descendentes de israelenses, mas não são judeus de acordo com a lei judaica”.


O Canal 13 News noticiou na terça-feira que o Rabino Lau já havia instruído que os processos de conversão fossem interrompidos. Seu escritório notificou a ministra da Imigração e Absorção, Pnina Tamano-Shata, que também é uma imigrante etíope, pois há atualmente cerca de cem imigrantes etíopes cujas conversões estão na mesa de Lau, mas ele se recusa a assiná-las.


Em uma entrevista à estação de rádio Reshet Bet na quarta-feira, o ministro das Comunicações, Yoaz Hendel, pediu que o primeiro-ministro demitisse o rabino-chefe.


“Um servidor público deve cumprir as decisões do governo e, se não o fizer, não deve estar no cargo”, disse Hendel. 


 O ministro da construção, Ze’ev Elkin, do partido de direita New Hope, atacou Lau em resposta, dizendo que o rabino-chefe estava “chantageando o governo” e usando “a abordagem errada”.


Em resposta à carta de Lau, o presidente da UTJ, Moshe Gafni, afirmou que “o povo judeu apoia o Rabino-chefe Lau em seu anúncio de que ele não assinará certificados de conversão se [o governo] adiantar seu plano de conversão falso e demitir o chefe do sistema de conversão. ” 


A oposição MK Bezalel Smotrich, líder do partido de extrema direita Sionismo Religioso, apoiou Lau, dizendo que o rabino-chefe estava lutando “contra a destruição do processo de conversão e graves danos à unidade do povo”.


É interessante notar que o Talmud (Yevamot 24b), prediz que nos dias imediatamente anteriores ao Messias, os convertidos ao Judaísmo não serão aceitos:


Os Sábios ensinaram: Os convertidos não são aceitos nos dias do Messias. Da mesma forma, eles não aceitaram convertidos nos dias do Rei Davi ou nos dias do Rei Salomão. O rabino Eliezer disse: Qual é o versículo que sugere essa halakha (lei) ? “Eis que eles podem se reunir [ gor yagur ], mas sem mim; quem quer que ajuntar [ gar ] contigo, cairá sobre o teu ”(Isaías 54:15). A palavra gor implica que apenas um convertido [ ger ] que se torna parte do povo judeu quando os judeus estão vivendo no exílio, em uma época em que Deus não é claramente revelado, ou seja, “sem mim”, é considerado parte do povo judeu . Mas outro que deseja se converter em uma época em que Deus é claramente revelado, não será aceito.


Usaram essa palavra pro antimessias, o falso cristo que há de vir agora. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.