Ads Top

O Google está comemorando o PIZZAGATE, no dia que começou os julgamentos de Ghislaine Maxwell: Acusadora diz que Ghislaine Maxwell avaliou seu corpo para Epstein quando ela tinha 14 anos

Uma das mulheres que diz ser menor quando começou a fazer sexo com Jeffrey Epstein testemunhou na terça-feira que Ghislaine Maxwell inspecionou pessoalmente seu corpo.



"Ela entrou e sentiu meus peitos, meus quadris e minhas nádegas e disse que eu tinha um grande corpo para o Sr. Epstein e seus amigos", disse a mulher, que está sendo identificada como "Carolyn", no julgamento de tráfico sexual infantil da socialite britânica em Nova York.


Carolyn inicialmente disse que tinha 14 anos e depois disse que tinha 13 anos quando foi apresentada a Maxwell e Epstein por Virginia Roberts Giuffre - outra mulher que diz que o casal abusou sexualmente e a traficava.


"Estávamos indo para a casa da amiga dela em Palm Beach Island e íamos encontrar um de seus amigos ricos e eu ia fazer uma massagem", disse Carolyn ao tribunal.



Uma vez lá, Carolyn disse, que Giuffre tirou suas roupas enquanto ela mesma permaneceu com seu sutiã e calcinha e ambos começaram a massagear Epstein.


Quarenta e cinco minutos depois, Carolyn disse que Epstein se virou e começou a fazer sexo com Giuffre.


"Eu estava sentada no sofá bem na frente deles", disse ela.


Carolyn disse que acabou voltando para a mansão de Epstein "mais de 100 vezes" onde ela fez sexo com ele e às vezes com outra mulher. Ela disse que também posou para fotos nuas.


"Maxwell ligaria e marcaria uma hora de consulta", disse ela.


Perguntada pela procuradora assistente Maurene Comey por que ela continuava voltando, Carolyn respondeu: "Porque eu precisava do dinheiro."


Chorando às vezes, Carolyn disse que parou de visitar a mansão depois de ter um bebê em março de 2004. Ela disse que quando tentou voltar, foi rejeitada "porque fiquei muito velha".


"Eu tinha 18 anos", disse ela.


Ghislaine Maxwell, 59 anos, é acusada de ajudar Epstein a recrutar e abusar sexualmente de quatro meninas menores de idade, a maioria na década de 1990. Ela se declarou inocente de todas as seis acusações contra ela.


Sua equipe de defesa afirma que ela está sendo processada porque o governo não pode ir atrás de Epstein, um criminoso sexual condenado que se enforcou em uma prisão de Manhattan há dois anos enquanto aguardava julgamento por tráfico sexual.


Giuffre, que disse que ela também era menor de idade quando começou a fazer sexo com Epstein e seus amigos, não é uma das quatro mulheres que Maxwell é acusado de tráfico neste julgamento.


Na segunda-feira, Kate, o pseudônimo de uma modelo/musicista que disse ter sido atraída a fazer massagens sexuais em Epstein quando tinha 17 anos, disse ao tribunal que durante um desses encontros, quando ela se lembra de ter aproximadamente 18 anos, ela foi pressionada a usar uma roupa de "colegial". Kate disse que era de uma família bem-off.


Carolyn disse que ela e seus irmãos estavam sendo criados por uma mãe viciada em álcool e drogas e "foi autorizada a fazer o que eu quisesse". Ela disse que muito do dinheiro que Epstein pagou a ela foi pelas drogas.


LEIA TAMBÉM

Tráfico infantil e rituais satânicos, são descobertos desde Hollywood até à Casa Branca; Documentário Out of Shadows revela tudo


O Silêncio disso na Comunidade LGBT é ensurdecedor! Bill Gates se divorciou da esposa Melinda, por causa de seu relacionamento secreto com o pedófilo condenado Jeffrey Epstein


"Maconha, cocaína, álcool, qualquer coisa que pudesse bloquear... a nomeação " com Epstein, Carolyn disse.


Mais tarde, no interrogatório, Carolyn admitiu ter sido presa uma vez por posse de cocaína e outra vez por tentar penhorar um Xbox que não era dela. Ela também admitiu que trabalhou, por um tempo, para um serviço de acompanhantes onde ela levou dinheiro para sexo.


Estes incidentes ocorreram depois que ela parou de passar tempo com Maxwell e Epstein. Ela disse que ainda toma metadona e Xanax para sua ansiedade e às vezes ouve vozes de que alguém vai levar seu filho embora.


Além de Carolyn e Kate, o tribunal ouviu depoimentos de uma mulher identificada como Jane, que disse ter 14 anos quando Maxwell a ensinou a satisfazer sexualmente Epstein e eles a traficaram para outros homens poderosos.


Maxwell, disseram os promotores, desempenhou um papel fundamental na aquisição de meninas e jovens mulheres para Epstein, um financista multimilionário que era próximo do bilionário de Ohio Leslie Wexner, amigos de Donald Trump e do príncipe britânico Andrew, e amigável com outros nomes ousados, como o ex-presidente Bill Clinton.


Não há alegações de tráfico contra Clinton, Trump e Wexner. Mas Giuffre alegou em um processo civil que Maxwell a traficou para Andrew, filho da Rainha Elizabeth II, quando ela tinha 17 anos. Ele negou as alegações.


O julgamento está sendo realizado no Distrito Sul de Nova York, onde os promotores podem encerrar seu caso já na quinta-feira, disseram fontes.


A juíza distrital dos EUA Alison Nathan disse que marcará uma conferência de acusação para 18 de dezembro, o que significa que o júri poderia potencialmente pegar o caso antes do Natal.


E advinhem como o GOOGLE ESTÁ NESSE MOMENTO: 



Não acreditamos em coincidência vindo dessas corporações... 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.