Ads Top

Israel anuncia quarta dose para maiores de 60 anos; chefes de hospitais na Inglaterra se preparam para 'situação perigosa'

Nachman Ash disse que há uma "alta probabilidade" de que outra vacina Covid será recomendada


O comitê de vacinação do Ministério da Saúde de Israel decidiu não recomendar uma quarta vacina Covid ao público em geral no domingo à noite, incluindo aqueles que estão imunocomprometidos.


A comissão não pesquisou um consenso para priorizar a vacinação daqueles que não receberam as três doses recomendadas, segundo comunicado do Ministério da Saúde via Haaretz.


O diretor-geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, disse que há uma "alta probabilidade" de que outra vacina Covid seja recomendada, "mas teremos que ver quando".


"Ainda não vemos a possibilidade de administrar uma quarta vacina para a população em geral, mas, antes de tudo, para populações de alto risco", disse Ash, Haaretz reportado.


Os funcionários da Saúde decidiram, no entanto, que o período entre recuperação e vacinação poderia ser reduzido de seis meses para três meses, de acordo com O Posto de Jerusalém.


O CDC nos EUA já recomendou uma quarta dose para pessoas imunocomprometidas em outubro.


Até sábado, de acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 58% dos israelenses elegíveis com mais de cinco anos estão totalmente vacinados.


Existem atualmente 67 casos de omicron em Israel, com dezenas de outros sob investigação.


No domingo, foi anunciado que o Reino Unido e Dinamarca serão adicionados à lista de países "vermelhos" 72 horas após o anúncio.


"Estes são três países em que está claro que a disseminação do Omicron na comunidade é muito significativa", disse a Dra.

Segundo o primeiro-ministro, a decisão do Comitê de Especialistas Epidemiológicos de aprovar a quarta dose é "uma excelente notícia que nos ajudará a enfrentar a onda da variante Omikron que está engolindo o mundo".


O Ministério da Saúde de Israel disse em um comunicado que a quarta dose pode ser tomada pelo menos quatro meses após a terceira dose.


A morte da primeira pessoa infectada com a variante Omikron foi confirmada em Israel na terça-feira. Mas o Centro Médico Soroka em Beersheba explicou que o paciente falecido, de 60 anos, tinha uma série de condições pré-existentes graves.

A Bélgica foi originalmente declarada "vermelha", mas o ministério mais tarde retirou a designação, Os Tempos de Israel reportado.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.