Ads Top

INCOERÊNCIA DO GENERAL? "Importante não ficar só entre Lula e Bolsonaro"; mas Sérgio Moro não empolga as massas como Lula e Bolsonaro, afirma Mourão


Hamilton Mourão (PRTB), vice-presidente da República,  concedeu uma entrevista a jornalista Bela Megale nesta quinta-feira (04) e revelou que pensa em se candidatar ao Senado Federal pelo estado do Rio de Janeiro. Em relação às eleições presidenciais, o general avalia que Sergio Moro é "um nome forte", mas que não empolga as massas como Lula e Bolsonaro.

"Não tenho a mínima pretensão de me candidatar ao governo do Rio. Para isso, eu teria que ter dez anos a menos e uma equipe ultra consistente. Não tenho isso. Se eu for concorrer a algum cargo eletivo, será o Senado", afirmou Mourão.


Na visão do vice-presidente, sua relação com Bolsonaro melhorou pois Jair entendeu que há lealdade por parte do general. "Hoje a situação está muito boa. Temos mantido contato. Antes de ele embarcar para a reunião do G20, na Itália, fui até a base aérea para me despedir".


O militar aproveitou para se colocar a disposição do presidente Jair Bolsonaro para as próximas eleições, inclusive para reeditar a chapa em uma nova disputa em 2022. Mas rechaçou a possibilidade de disputar contra o atual mandatário. "No momento, Bolsonaro será candidato à reeleição e eu jamais concorreria com o presidente. Não seria ético da minha parte."


NA REVISTA OESTE MOURÃO FALOU OUTRA COISA


O vice-presidente Hamilton Mourão comentou a entrada do ex-ministro da Justiça e ex-juiz Sergio Moro na corrida presidencial de 2022. Segundo o general, caso a candidatura de Moro se confirme pelo Podemos, partido ao qual ele vai se filiar no dia 10, seria um “nome forte”, mas sem grandes chances de ser eleito presidente da República no ano que vem.


“Vejo Moro como um nome forte. Ele agrada a parcela da população que vê o combate à corrupção como uma bandeira importante. Agora, tem que empolgar a massa. Hoje, quem empolga as massas são Lula e Bolsonaro”, afirmou Mourão em entrevista ao jornal O Globo.


Com chances remotas de repetir a dobradinha de 2018 com o presidente Jair Bolsonaro, Mourão vem sendo cogitado como possível candidato ao governo do Rio ou ao Senado pelo Rio Grande do Sul em 2022. A primeira hipótese, segundo o próprio vice-presidente, está quase descartada.


“Não tenho a mínima pretensão de me candidatar ao governo do Rio. Para isso, eu teria que ter dez anos a menos e uma equipe muito consistente. Não tenho isso”, disse o general. “Se eu for concorrer a algum cargo eletivo, será ao Senado. Mas também avalio deixar a vida pública e me dedicar à família.”


Como noticiado por Oeste, Mourão aparece em segundo lugar na disputa pelo governo do Rio, de acordo com pesquisa divulgada na semana passada pela  Quaest. O vice-presidente tem 17% das intenções de voto, atrás apenas do deputado federal Marcelo Freixo (PSB), com 23%.


Por fim, Mourão falou sobre a CPI da Covid. Segundo o político, a comissão "não trabalhou corretamente". "Os interrogatórios foram mal conduzidos e atribuem ao presidente crimes que eu não concordo. É uma forçação de barra chamar Bolsonaro de genocida e difusor da pandemia".



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.