Ads Top

Bolsonaro viaja aos Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Qatar em busca de investimentos; Principal País no avanço do Acordo de Abraão doará 10 Bilhões de Dólares em 10 anos pro Brasil, segundo Paulo Guedes

O presidente brasileiro Jair Bolsonaro viajou na última sexta-feira (12) para os Emirados Árabes Unidos, a primeira parada em uma viagem a países do Golfo Pérsico com forte foco econômico, que também o levará ao Bahrein e concluirá no Catar.


Nesses três países, Bolsonaro será recebido por autoridades governamentais e realizará reuniões com empresários e fundos de investimento para apresentar as oportunidades oferecidas pelo Brasil em diversas áreas de sua economia.


O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse nesta segunda-feira a potenciais investidores na Expo Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, sobre as oportunidades que aguardam em seu país.


Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, participam do "Fórum Investe no Brasil" dentro da feira internacional em busca de fluxos de caixa para a deterioração da economia de seu país em um cenário pós-pandemia.


Liderando a oferta de produtos no Brasil estavam os jatos embraer de curto a médio alcance, bem como outros desenvolvimentos da fabricante de aeronaves.


"Tenho certeza de que esse passo vai fazê-los investir mais", disse Bolsonaro. "Espero voltar em breve anunciando mais interações entre nós", acrescentou.


Bolsonaro também elogiou os laços sanguíneos entre o país sul-americano e aquela parte do mundo: "O Brasil tem mais de cinco milhões de árabes, se contarmos os descendentes chegamos a 30 milhões, mais do que parceiros somos irmãos", ressaltou.


O chefe de Estado também abordou a questão das críticas mundiais contra sua administração sobre questões ambientais. "Queremos que você conheça o Brasil. Uma viagem e um passeio pela Amazônia é algo fantástico, até para você ver que a nossa Amazônia, sendo uma floresta úmida, não pega fogo", explicou Bolsonaro, ao insistir que os "ataques" contra o Brasil sobre essas questões "não são justos", porque "mais de 90% dessa área está preservada lá, é a mesma de quando foi descoberta em 1500".


O Fórum foi organizado pela Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex), órgão vinculado ao Ministério das Relações Exteriores.


"Aqui estão os petrodólares", disse Guedes. Os países árabes compõem o terceiro maior comprador de carne do Brasil, atrás da China e da União Europeia. Bolsonaro também disse que os países árabes eram um dos "parceiros preferidos" do Brasil para quem seu país tem "portas abertas" para negócios em diferentes áreas, especialmente na agricultura.


Guedes também ressaltou que "fizemos um grande movimento na década de 1980 para conquistar a reciclagem de recursos" do Oriente Médio, acrescentou. "Estamos muito otimistas, acreditamos que o crescimento da economia brasileira está garantido, não aposte contra a economia brasileira", prosseguiu.


De acordo com as projeções do Banco Central do Brasil, o Produto Interno Bruto crescerá 4,9% este ano e cerca de 1,4% em 2022, abaixo da média das economias mais desenvolvidas do mundo.


A turnê de Bolsonaro pelo mundo árabe continuará no Bahrein e no Qatar.


O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, fez declarações na última quarta-feira (17) em Doha elogiando o desenvolvimento dos países árabes que visitou em sua missão ao Golfo. Em conversa com a imprensa, após andar de moto na capital do Catar, Bolsonaro disse ter visto progressos e desenvolvimento nos países, e eles estão cada vez mais confiantes sobre o Brasil. O presidente visitou os Emirados Árabes Unidos, o Bahrein e o Qatar.


 




"Eles querem investir no Brasil, a gente tem infraestrutura lá, portos, rodovias, ferrovias, aeroportos, a gente tem a questão da defesa que é muito importante para o intercâmbio, eles têm muito a nos oferecer, e a gente tem muito a oferecer", disse Bolsonaro aos jornalistas. Questionado sobre o encontro com o emir do Qatar, Tamim bin Hamad bin Khalifa Al Thani (Vídeo acima), ele disse que a reunião foi excepcional, assim como as outras que ele teve na viagem.


A agência oficial de notícias do Catar, a Agência de Notícias do Catar (QNA), informou que Jair Bolsonaro e o emir falaram na reunião sobre formas de desenvolver relações bilaterais Brasil-Catar, especialmente nas áreas de investimento, economia, defesa, energia e esportes, e trocaram opiniões sobre diversos temas de interesse comum para os dois países.


O governo do Qatar ofereceu um passeio de moto para Bolsonaro, que viajou por Doha para chegar ao Estádio Lusail, que sediará jogos da Copa do Mundo FIFA de 2022. Bolsonaro disse à imprensa que não viu pichações ou sujeira no chão durante o passeio de moto. No estádio, ele se reuniu com o presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA), Gianni Infantino, e com o secretário-geral da Copa do Mundo do Catar, Hassan al-Thawadi, com quem falou sobre a realização da Copa do Mundo de futebol a cada dois anos, entre outros temas.


O Qatar é um país de apenas 2,8 milhões de pessoas, mas tem uma das maiores rendas per capita do mundo. A nação peninsular possui reservas de petróleo significativas e a terceira maior reserva de gás natural do planeta, ocupando a posição de maior exportador de gás liquefeito. O comércio bilateral entre o Catar e o Brasil somou US$ 774 milhões no ano passado. Esta foi a segunda visita do presidente brasileiro Bolsonaro ao país. A primeira ocorreu em 2019.


 







Emirados Árabes Unidos investirão US$ 10 bilhões no Brasil em 10 anos, diz Guedes



Os Emirados Árabes Unidos, onde o presidente brasileiro Jair Bolsonaro está visitando atualmente, planejam investir US$ 10 bilhões no Brasil nos próximos 10 anos após conversas entre os dois países, disse o ministro da Economia do Brasil nesta quarta-feira.

Paulo Guedes acrescentou que o problema para o Brasil em 2022 não seria de baixo crescimento, mas sim de inflação alta.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.