Ads Top

Bolsonaro diz que Brasil não aguenta outro lockdown em 2022; Presidente cogita quarentena para viajantes que vierem da Argentina

Presidente comentou a chegada da variante Ômicron e defendeu 'medidas racionais' para combater o problema


Ao comentar a chegada da Ômicron, nova variante do coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil não tem condições de aguentar um novo lockdown. Ele falou em "medidas racionais" para combater o problema, mas se posicionou contra fechamentos. “Tudo pode acontecer, uma nova variante, um novo vírus. Mas o Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown. Seria condenar todos à miséria, que leva à morte também. A gente tem que encarar a realidade sem se apavorar”, disse, em evento no Rio de Janeiro.

Bolsonaro disse que tratou do assunto com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que emitiu uma nota técnica, também nesta sexta (26), recomendando a suspensão de voos de seis países do continente africano, onde a variação surgiu: África do Sul, Botsuana, Essuatíni (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia e Zimbábue.



Argentina

Bolsonaro também disse ter discutido com a Anvisa a possibilidade de um período de isolamento para que viajantes da Argentina possam ingressar no Brasil. Segundo o chefe do Executivo, a medida valeria apenas para quem viesse ao país por meio de algum voo.


“Discutimos a Argentina: quem vier de carro da Argentina para cá entrará sem problemas. Quem vier de avião fará quarentena de quatro dias. Então, vou tomar medidas racionais. Carnaval, por exemplo: eu não vou para o Carnaval. Mas não tenho comando do combate à pandemia, isso cabe a governadores e prefeitos”, disse Bolsonaro a jornalistas, em um compromisso no Rio de Janeiro.


O presidente tratou do assunto com a Anvisa devido ao surgimento de uma nova variante do coronavírus em países da África. Em razão disso, a Anvisa emitiu uma nota técnica, também nesta sexta, recomendando a suspensão de voos de seis países do continente: África do Sul, Botsuana, Essuatíni (antiga Suazilândia), Lesoto, Namíbia e Zimbábue. 


Por mais que tenha falado em “medidas racionais” para proteger o país contra a nova variante, Bolsonaro se posicionou contra um novo lockdown. “Tudo pode acontecer, uma nova variante, um novo vírus. Mas o Brasil e o mundo não aguentam um novo lockdown, seria condenar todos à miséria, que leva à morte também. A gente tem que encarar a realidade sem se apavorar”, opinou.


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.