Ads Top

23 pessoas morreram na Noruega após receberem primeira dose da PFIZER Covid-19


Vinte e três pessoas morreram na Noruega poucos dias após receberem a primeira dose da vacina Pfizer COVID-19, com 13 dessas mortes - todas pacientes em asilos - aparentemente relacionadas aos efeitos colaterais das vacinas, disseram autoridades de saúde.


Reações comuns à vacina, incluindo febre e náuseas, "podem ter contribuído para um desfecho fatal em alguns pacientes frágeis", disse Sigurd Hortemo, médico-chefe da Agência Norueguesa de Medicamentos, em um comunicado na sexta-feira.


Todos os 13 eram pacientes de asilo e pelo menos 80 anos. Embora as autoridades não estejam expressando preocupação séria, eles estão ajustando suas orientações sobre quem deve receber a vacina.


A notícia vem pouco mais de uma semana depois que as autoridades relataram a morte de apenas dois residentes do asilo depois que receberam o jab da Pfizer.


Mais de 30.000 pessoas na Noruega receberam a primeira dose da vacina pfizer ou moderna coronavírus no país escandinavo desde o final do mês passado, de acordo com dados oficiais.


"Não estamos alarmados com isso", disse Steinar Madsen, diretor médico da agência, à emissora norueguesa NRK. "É bastante claro que essas vacinas têm muito pouco risco, com uma pequena exceção para os pacientes mais frágeis."


"Os médicos devem agora considerar cuidadosamente quem deve ser vacinado", acrescentou. "Aqueles que são muito frágeis e no final da vida podem ser vacinados após uma avaliação individual."

A agência informou na quinta-feira que um total de 29 pessoas sofreram efeitos colaterais, incluindo as 13 pessoas que morreram.


Vinte e uma mulheres e oito homens tiveram efeitos colaterais, disseram as autoridades. 


Além dos que morreram, nove tiveram efeitos colaterais graves - incluindo reações alérgicas, desconforto forte e febre grave - enquanto sete tiveram menos graves, incluindo dor severa no local da injeção.


No total, mais de 57.000 casos e 500 mortes relacionadas ao coronavírus foram relatados na Noruega, de acordo com a Universidade Johns Hopkins.


As autoridades de saúde observaram que cerca de 400 pessoas morrem por semana na população do lar de idosos.


Um representante da Pfizer disse que a gigante farmacêutica está "ciente das mortes relatadas" após a administração da vacina na Noruega e está trabalhando com a Agência Norueguesa de Medicamentos "para coletar todas as informações relevantes".


"As autoridades norueguesas priorizaram a imunização de residentes em asilos, a maioria idosos com condições médicas subjacentes e alguns que estão em estado terminal", disse um porta-voz em um comunicado. "[A Agência Norueguesa de Medicina confirma] que o número de incidentes até agora não é alarmante, e em linha com as expectativas."

"Todas as mortes relatadas serão minuciosamente avaliadas pela [agência] para determinar se esses incidentes estão relacionados à vacina", acrescentou. "O governo norueguês também considerará ajustar suas instruções de vacinação para levar mais em consideração a saúde dos pacientes."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.