Ads Top

Jared Kushner, o fiel genro e conselheiro do sogro sugere que Donald Trump ¨aceite a derrota¨ pra Biden

Aos 39 anos, o marido de Ivanka Trump, tem sido uma espécie de presidente sombra de Donald Trump que foi responsável igualmente pela campanha para a reeleição. Kushner defende agora o reconhecimento dos resultados eleitorais Falta saber se conseguirá, desta vez, convencer o presidente.




Donald Trump foi aconselhado a assumir a derrota nas eleições presidenciais dos Estados Unidos. Foi Jared Kushner, genro e principal conselheiro do presidente americano a lançar a para cima da mesa a sugestão de acabar com o conflito latente no que diz respeito à assunção da derrota eleitoral.


Como é sabido, Trump garante que o resultado eleitoral está viciado e ainda este sábado, mesmo depois de conhecida a vitória de Joe Biden, voltou a dizer que ganhou a eleição "e por muitos".


De acordo com a CNN, terá sido após o discurso de vitória de Joe Biden que Jared Kushner terá aconselhado Trump a assumir a derrota, uma notícia confirmada e difundida depois por outros meios de comunicação americanos.

A questão que se coloca é se Donald Trump irá seguir o conselho do genro, de 39 anos, casado com Ivanka, que tem assumido uma espécie de faz-tudo na Casa Branca e mesmo na vida do presidente ainda em funções. É ele, na realidade, o chefe de gabinete da presidência e, ao mesmo tempo, dizem as más-línguas, o verdadeiro guardião dos estados de humor de Trump.


Mas há mais. Jared Kushner tem sido o homem de confiança do presidente para as questões do Médio Oriente, tem desempenhado as funções de coordenador para a pandemia de covid-19 e ainda é considerado o cérebro da estratégia que foi adotada para as eleições.


Aliás, alguns republicanos críticos do presidente afirmaram mesmo ao The Washinghton Post que Kushner não dedicou tempo suficiente à campanha por causa das muitas funções que desempenha na Casa Branca, chegando alguns mesmo a dizer que "estava ocupado a ser presidente".

Apesar de tudo, Jared Kushner foi uma presença constante e obrigatória ao lado de Donald Trump durante a campanha, embora na maioria das vezes tenha estado nos bastidores para controlar todas as operações, nomeadamente durante os comícios. É por ter um raio de ação tão grande que alguns republicanos culpam Kushner da derrota eleitoral, nomeadamente pelas opções que foram tomadas, embora outros se mostrem convictos de que, sem ele, a derrota teria sido muito mais expressiva.


Seja como for, neste momento, o conselho de Jared Kushner ao seu sogro Donald Trump poderá produzir um efeito apaziguador no rescaldo pós-eleitoral nos Estados Unidos. No entanto, falta saber se o presidente que irá cessar funções a 20 de janeiro de 2021 irá, desta vez, aceitar a sugestão dada pelo seu fiel genro. E, se o fizer, como irá comunicá-la ao povo americano, depois de tantas vezes ter colocado em causa o sistema de contagem de votos em vários estados americanos e assumido que iria recorrer aos tribunais. 



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.