Ads Top

Depois de 6 Anos em ¨silêncio¨ grupo hacker Anonymous volta das cinzas, e cita Donald Trump, Bolsonaro, Naomi Campbell, Gisele Bündchen e Epstein



Em apoio aos protestos contra a morte de George Floyd, em Minneapolis (EUA), o grupo hacker Anonymous, que estava inativado há seis anos, fez um pronunciamento pelo Twitter na madrugada deste domingo, 31, afirmando que irá divulgar os “muitos crimes” cometidos pela polícia americana. Na ocasião, o grupo ainda citou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e sugeriu uma investigação da ligação entre ele e o líder norte-americano Donald Trump.

“Algo que as pessoas devem olhar no Brasil é investigar se Bolsonaro tem algum vínculo com o traficante e estuprador de crianças John Casablancas, um associado próximo de Trump que atuou como proxy para os negócios de Trump no Brasil sob algum cargo obscuro e indefinido”, diz o texto.


John Casablancas foi um importante empresário da indústria da moda, criador da agência de modelos mais famosa do mundo, a Elite Models, responsável por alavancar modelos como Gisele Bündchen, Naomi Campbell, e Cindy Crawford. Ele morreu aos 70 anos vítima de câncer, em sua residência do Rio de Janeiro.


LEIA TAMBÉM: OS 3 LIVROS DE 1900 QUE MOSTRAVAM QUE DONALD TRUMP IRIA SE TORNAR PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS

A LIGAÇÃO DE DONALD TRUMP E SEU GENRO JARED KUSHNER COM A RÚSSIA E TODO O MISTICISMO HASSÍDICO DOS ASKHENAZIS

Em outro post, o Anonymous declara, “o Anonymous não apoiava Trump; somos apolíticos, em 2015, tentamos expor os elos de Epstein e o crime organizado de Trump e fomos abafados por uma operação de influência do governo russo e nazistas”.

Na postagem abaixo, o coletivo afirma que Epstein não apenas vendia, mas colecionava material de chantagem para políticos dos EUA e do Reino Unido, mas também era apoiado pelo grupo MEGA, uma máfia de investidores ricos e criminosos organizados que também estavam ligados à URSS e Israel.


Recado à Trump

Por meio de vídeo, o Anonymous se dirigiu a Trump e entidades de justiça afirmando que "o mundo finalmente está começando a acordar" e que as pessoas "estão ficando cada vez mais zangados toda vez que veem sangue desnecessariamente derramado sem consequências". Após a divulgação, o site da polícia de Minneapolis ficou fora do ar. O assunto segue como um dos mais comentados no Twitter.


Estranhamente o grupo Anonymous não citou nenhum democrata, que por lá passaram e fizeram alianças com Epstein, Hillary e Bill Clinton; Obama, John Podesta. 

O Pizza Gate de Podesta. Epstein, Bill Clinton e outros

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.