Ads Top

Entre 50 escolhidos, Jared Kushner é eleito o Judeu mais importante do ano de 2020 pelo Jerusalém Post

A lista foi publicada na sexta-feira e também destaca outros diplomatas, ativistas e indivíduos que estão ajudando na busca de uma vacina COVID-19, entre outros.


Ao lado de Kushner, a lista do jornal reconheceu Yossi Cohen, Ron Dermer, Avi Berkowitz e David Friedman por seus papéis na negociação do acordo de paz entre Israel e os Emirados Árabes Unidos e o Bahrein.

"Esses cinco desempenharam um papel no que poderia acabar sendo um realinhamento que beneficiará Israel, o Oriente Médio e o mundo", disse o Jerusalem Post.


Em seu artigo sobre o grupo de paz, o jornal percorreu os cinco anos que antecederam os Acordos de Abraão, que, segundo ele, começaram com o acordo nuclear iraniano em 2015. A oposição compartilhada de Israel e dos Emirados Árabes Unidos ao acordo abriu caminho para um caminho posterior para a paz, escreveu o jornal.

Jared Kushner está vindo para ser o Oitavo Rebe como já anunciamos antes, ele vai guiar o grande Israel. Basta ver que nesta votação ele ficou à frente de todos: A frente dos Primeiros Ministros de Israel: Benny Gantz e Benjamin Netanyahu, e do Presidente: Reuven Rivlin.

Um acordo de paz no Oriente Médio tem sido um objetivo de anos do governo do presidente Donald Trump. Trump pediu a Kushner, seu genro e conselheiro especial, para assumir o projeto no início de seu governo, embora Kushner não tivesse experiência anterior com diplomacia no Oriente Médio. Auxiliando Kushner estavam Friedman, o embaixador dos EUA em Israel, e Berkowitz, o enviado especial para relações internacionais e um dos assessores de Kushner.

Kushner, Friedman e Berkowitz "não vêm do 'pântano' da política externa de Washington que Trump prometeu drenar", disse o jornal. "Como tal, eles contrariaram a sabedoria convencional e viram o lugar de Israel na região de uma forma diferente."


O jornal também credita Cohen, diretor do Mossad, e Dermer, o embaixador israelense nos EUA, com o trabalho nos bastidores para negociar o acordo. Cohen também foi premiado com o primeiro lugar na lista do The Jerusalem Postno ano passado por seu papel como "o chefe espião do Mossad que roubou os arquivos nucleares secretos do Irã".


O acordo de paz assinado na terça-feira diz que os países continuarão trabalhando para alcançar a paz e a segurança, que Trump disse que espera construir para incluir outros países da região.


"A assinatura de hoje coloca a história em um novo curso", disse Trump na terça-feira. "E haverá outros países muito, muito em breve que seguirão esses grandes líderes."


Os Acordos de Abraão não incluíram a Palestina, um país que tem sido fundamental nas negociações de paz durante anos anteriores aos Acordos de Abraão. Os líderes na Palestina chamaram o acordo de "traição de Jerusalém" e foram rápidos em condená-lo.


Apesar da reação da Palestina, Trump é indicado ao Prêmio Nobel da Paz de 2021 por seu papel na negociação do acordo, que ele disse durante uma cerimônia de assinatura na terça-feira que inauguraria "o amanhecer de um novo Oriente Médio".


A Newsweek entrou em contato com a Casa Branca para comentar, mas não recebeu uma resposta a tempo da publicação.

Fonte: https://www.msn.com/en-us/news/world/jared-kusher-trump-s-peace-team-named-world-s-most-influential-jews-by-jerusalem-post/ar-BB19bopu

Tradução: BDN

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.