Ads Top

Espanha criará registro de pessoas que recusarem se vacinar contra coronavírus, porém, garantirá 'proteção de dados'

 


A Espanha compilará um registro daqueles que recusam a nova vacina contra o coronavírus e compartilhará as informações com outros países da União Europeia, disse o ministro da saúde a uma emissora de televisão espanhola na segunda-feira 28/12/2020. 

Embora a inoculação não seja obrigatória, a melhor defesa contra a pandemia é "vacinar todos nós – quanto mais melhor", disse o ministro da Saúde, Salvador Illa, à TV La Sexta, da Espanha. Ele enfatizou que não seria compartilhado com empregadores ou com o público.

"O que será feito é um registro, que será compartilhado com nossos parceiros europeus... dessas pessoas que foram oferecidas e simplesmente rejeitaram", disse Illa, de acordo com a BBC News. "Não é um documento que será tornado público, e será feito com o maior respeito pela proteção de dados."


Illa disse que seu propósito seria feito principalmente para registrar o fato de que a pessoa tinha sido oferecida que ou qualquer outro tratamento e recusou, para garantir que qualquer pessoa deixada de fora teria sido auto-excluída, para documentar "que não há erro no sistema, não ter dado a essa pessoa a possibilidade de ser vacinada".


À medida que a vacina toma conta do mundo e se mostra segura, os cidadãos espanhóis parecem ter se tornado mais aceitos da vacina, observou a BBC News, com 28% agora dizendo que não tomaria uma vacina, abaixo dos 47% que se recusam em novembro.

SARS-CoV-2, também conhecido como o novo coronavírus, que causa o COVID-19, infectou cerca de 1,9 milhão de pessoas na Espanha e matou 50.122, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

Na segunda-feira, a Espanha superou 50.000 mortes, a quarta nação europeia a fazê-lo, segundo a Axios.

Reino Unido, Itália e França estão à frente deles.

Em setembro, o país já lutava para conter sua segunda onda de surtos,com cargas de casos rivalizando com as da primavera. Desde o mês passado, o país tem exigido a prova de um teste COVID-19 negativo de viajantes de nações de "alto risco".

Internamente, a Espanha está sob toque de recolher entre 23h.m. e 6.m em todo o país até o início de maio, informou a BBC News. A busca pela imunidade do rebanho, que é alcançada pela vacinação, é fundamental para parar a pandemia, disseram especialistas em saúde.

"As pessoas que decidem não se vacinar, o que achamos um erro, estão dentro de seus direitos", disse Illa a repórteres em comentários separados na segunda-feira, de acordo com a BBC News. "Vamos tentar resolver dúvidas. Vacinar salva vidas. É a saída dessa pandemia."

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.