Ads Top



Dívida Pública dos EUA 

dívida pública dos EUA bateu mais um recorde, superando a casa dos US$ 21,5 trilhões de dólares (R$ 67,2 trilhões), segundo os dados divulgados pelo Departamento do Tesouro dos EUA. A parte interna da dívida é de 5,6 trilhões de dólares (R$ 18 trilhões). O resto provém de investidores privados – pessoas físicas e jurídicas – que cobrem mais de US$ 15,3 trilhões de dólares (R$ 49,2 trilhões).

Uma das promessas eleitorais do atual presidente, Donald Trump, foi a eliminação da dívida pública norte-americana. O presidente insistia que suas medidas econômicas ajudariam a resolver este problema. Entretanto, durante apenas um ano de Trump como presidente, a dívida pública aumentou mais de um trilhão de dólares (R$ 3,2 trilhões).

O ex-presidente dos EUA Barack Obama também foi criticado por aumentar a dívida pública durante seus dois mandatos. Naquela época, a dívida cresceu de US$ 10,6 trilhões de dólares para US$ 19,9 trilhões. Paralelamente, aumentou o déficit orçamentário dos EUA, que em fevereiro também atingiu um novo recorde – 215 bilhões de dólares (R$ 688 bilhões).

A dívida pública é a dívida do Estado perante as entidades do próprio país e as dos países estrangeiros. Constitui uma forma de obter recursos financeiros através de emissão de títulos públicos. 

A economia global está à beira de desembocar em uma nova crise (talvez a definitiva e última) devido ao alto endividamento dos governos, das empresas e da população, de forma generalizada. Os problemas do setor bancário de certos países criam riscos para o sistema financeiro global, cuja dívida já superou a casa dos US$ 233 trilhões de dólares (R$ 756 trilhões), escreve o colunista da Sputnik Igor Naumov.

A catástrofe se aproxima

Países como a China, Hong Kong e Canadá são os mais afetados pelos riscos de endividamento. Segundo o estudo da agência de crédito Equifax, os cidadãos canadenses devem mais de 1,8 trilhões de dólares (R$ 5,9 trilhões) aos bancos, excluindo os empréstimos hipotecários. Ou seja, 22.800 dólares (R$ 75.000) de dívida por pessoa. 

Endividados até o pescoço

O cenário pessimista não parece ser assim tão improvável, explica o autor do artigo. A dívida global, que agrupa todas as dívidas dos governos, bancos, empresas e agregados familiares do planeta já superou 233 trilhões de dólares (R$ 756 trilhões).

Em 2000, este índice era de 87 trilhões de dólares (R$ 286 trilhões). Isso significa que, nos últimos 17 anos, este valor triplicou.

As crises financeiras nascem, tradicionalmente, nos EUA. As decisões da Reserva Federal (banco central dos EUA) não são o único culpado. A iniciativa do presidente dos EUA, Donald Trump, de reduzir a carga fiscal sobre as empresas contribuirá para o aumento do déficit orçamental dos EUA.


Dow Jones - "O estouro da bolha"

As bolsas de valores desde sua abertura a séculos atrás, tem demonstrado tendências aos longo de décadas, inclusive nos anos de 1929, onde a pior crise econômica mundial foi vista, onde na época os topos históricos da dow jones atingiu seu maior índice e assim parecia ter quebrado a resistência, porem era um bull-trap (armadilha de touros, no modo popular subiu e caiu abruptamente logo em seguida, uma armadilha), desde aquela época os padrão de tendência e resistências estão sendo mantidas, os indices chegam a resistência e fazem o bull-trap, assim como ocorreu em 2000 e agora 2018, quando isto ocorre, os índices tende a cair, as vezes abruptamente, levando consigo todo o mercado, quando isto ocorre a "bolha" se estoura ocasionando em uma crise que dependendo dos fatores mundiais, cria uma crise econômica de escala global, veja abaixo na analise de gráfico dow jones em quase um século:

[Imagem: bull-trap%2Bdow%2Bjones%252C%2Bcrise%2Be...m%2Bai.bmp]


clique aqui e abra e imagem no tamanho real para ver mais detalhes

O que irá ocorrer?

O índice chegou ao seu topo histórico e caiu em bull-trap, se o índice cair mais alguns pontos, irá causar uma efeito em manada ocasionando uma queda forte, as vezes abrupta afetando todo o mercado em todo o mundo, isto neste momento é péssimo, pois o mundo no geral esta em um momento delicado.
Se o índice quebrar a resistência, estaremos vendo algo jamais visto, um momento histórico e indica um crescimento abrupto.
No geral, o mercado esta mais pessimista do que otimista, pois sem si, o mercado tem que corrigir para poder continuar crescendo, por isto este canais de alta e baixa, isto a séculos e não foi rompido, mesmo com condições anteriores melhores que as atuais.

veja abaixo uma analise completa:




Eu acredito que infelizmente um apocalipse em breve estará dando as caras ao nossa sociedade, não será nada vindo dos céus, nem da própria mãe natureza, mas sim ocasionado pelo próprio ser humano, uma crise econômica global aliada a uma guerra seja comercial, fria ou uma grande guerra global, poderá surtir um efeito pior do que vimos na crise de 1929.
Não sendo pessimista, mas olhando os gráficos, observando comos os EUA estão, lá os universitários mal conseguem se manter, existe uma bolha universitária que aliada a uma crise, irá deixar o EUA em um poço igual o Brasil se encontrou, ou seja, um 1929 nos moldes do século 21, bem mais severo, aliado ao mundo, um verdadeiro apocalipse econômico mundial.


[b]Como fica o Brasil neste cenário?[/b]

Como estamos saindo de uma crise agora, isto pode mudar o nosso rumo, se a economia global entrar em recessão novamente daqui a alguns anos, o Brasil estará se recuperando da ultima, e pode ocorrer igual ocorreu em 2018, onde o mundo todo estava em crise e o Brasil ainda não apresentava qualquer vestígio da crise, foram até feitos capas de revista demonstrando que o Brasil decolou (sqn), mas com a entrada da Dilma em 2010 e seu péssimo governo até 2017, levou o Brasil a crise, só que atrasado pois o mundo todo estava em crise 2009 em diante, o que pode ocorrer é o mesmo de antes, o globo melhorar e o Brasil cair em crise novamente, um delas de 5 anos quem sabe, caso o futuro presidente saiba lidar com a situação nos próximos anos, poderemos nem sofrer com crise alguma, isso tudo depende do novo presidente.


Ascensão do Bitcoin e das cripto moedas.

Eu desconfio que alguém seriamente tem uma maquina do tempo, isso devido alguns desde 2011 afirmar que o Bitcoin seria a moeda única mundial que seria utilizada para tudo, aliada a marca da besta que é o QRcode (sim, não é o bitcoin como alguns estavam afirmando), com a crise econômica global próxima, os capitais escolheram o Bitcoin ou o Ouro, como o Bitcoin com qualquer injeção de capital tende a subir abruptamente, muitos já escolheram o Bitcoin para fugir do dólar quando colapsar, alguns dizem que a partir de 2019 isto estará mais evidente, inclusive com capital institucional entrando no bitcoin através do ETF, isto meus caro, é um plano muito bem arquitetado, neste meio tempo eu creio que o verdadeiro Anti-cristo será visto e irá emergir das cinzas para declarar a Nova Ordem Mundial, para que ocorre o verdadeiro apocalipse como vimos na bíblia, porém não propriamente dito com catástrofes naturais, mas sim causadas pelo homem, enfim, isto é assunto para outros posts (já existentes ou não)


William Waack falou sobre isso em um dos seus recentes vídeos:



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.