Ads Top

Em meio a pandemia de Covid-19, o Petróleo está em queda



Os contratos futuros de petróleo tombaram nesta segunda-feira (20). As pressões do descompasso entre oferta e demanda sobre os contratos, diante da retração da atividade global em meio à pandemia do novo coronavírus, foram acentuadas na sessão de hoje em razão do vencimento, datado para amanhã, do contrato do petróleo WTI para maio, negociado nesta sessão abaixo de US$ 0 pela primeira vez na história.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para maio fechou em queda de -305,97%, a US$ -37,63 o barril. Isso significa que fornecedores estão sendo pagos para ficar com o produto. Dessa forma, o petróleo está agora em "contango", ou seja, os contratos de petróleo para entrega futura são mais caros do que os preços à vista.



Ainda na Nymex, o petróleo WTI para junho, contrato mais líquido, fechou em queda de -18,40%, a US$ 20,43 o barril, enquanto o Brent para o mesmo mês, também contrato mais líquido, encerrou o dia em baixa de 8,94%, a US$ 25,57 o barril.

O contrato futuro do petróleo WTI foi negociado abaixo de US$ 0 pela primeira vez na história, diante da iminência do vencimento do contrato para maio, que acontece nesta terça-feira. De acordo com analistas, a liquidação em massa ocorre para evitar entrega física do barril da commodity - em um contexto em que não há espaço para armazenamento.

Os mercados internacionais têm operado em meio a um descompasso entre oferta e demanda de petróleo, já que os cortes de produção anunciados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+), cada vez mais, parecem insuficientes para compensar a queda na demanda, decorrência direta da retração da atividade global por conta da pandemia de covid-19.

A negociação no campo negativo, contudo, foi restrita ao contrato de maio, e, ainda que tenha colaborado para perdas em outros contratos, não se refletiu em cotações abaixo de US$ 0 nos contratos mais líquidos.

Desde o início dos negócios, operadores comentam que os estoques da commodity em Cushing, mais importante centro de armazenamento nos Estados Unidos, podem estar próximos do limite da capacidade. O DoE atualiza dados de estoques na próxima quarta-feira, dia 22.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.