Ads Top

China e Filipinas dizem que Frango importado do Brasil não é confiável, e foi detectado com coronavírus. Brasil pede explicações à China


Uma amostra de asas de frango congeladas importadas do Brasil pela China, com origem em um frigorífico de Santa Catarina, apresentou resultado positivo para o novo coronavírus, segundo comunicado do governo da cidade chinesa de Shenzhen divulgado nesta quinta-feira.


A amostra foi retirada da superfície do frango, o que torna o caso diferente de outros registrados na China, segundo a Bloomberg. As outras amostras de comida congelada que tiveram o resultado positivo para o vírus tinham material recolhido da superfície das embalagens.


As autoridades procuraram agir rapidamente e informaram que submeteram imediatamente a exames de diagnóstico as pessoas que tiveram contato com os produtos contaminados, assim como seus parentes.Todos os testes apresentaram resultado negativo, segundo o comunicado.


O governo chinês, por sua vez, China disse que não há, 'por enquanto', restrições para importações brasileiras, e que trabalham junto com o Brasil para localizar origem do vírus que foi encontrado na carga brasileira.


A Organização Mundial da Saúde (OMS) minimizou o risco de contaminação por coronavírus em embalagens de alimentos. Maria Van Kerkhove, epidemiologista da entidade, destacou que a China examinou centenas de milhares de embalagens e “descobriu que muito poucas, menos de dez”, continham o vírus.


— As pessoas não devem temer alimentos, embalagens de alimentos ou entrega de alimentos — disse o chefe do programa de emergências da OMS, Mike Ryan, em entrevista coletiva nesta quinta-feira. — Não há evidências de que a cadeia alimentar esteja participando da transmissão desse vírus.


A contaminação do alimento pode prejudicar as exportações brasileiras para a China, já que é o país é maior consumidor do produto brasileiro.


O Brasil chama a atenção do mundo como um dos principais epicentros da Covid-19 atualmente enquanto a China, origem do vírus, redobra cuidados para evitar uma nova onda do surto. A embaixada brasileira em Pequim ainda não se pronunciou sobre o caso.


— É difícil dizer em que estágio o frango congelado foi infectado — disse à Reuters um funcionário de um exportador de carne brasileiro com sede na China.


A amostra diagnosticada com coronavírus é do frigorífico Aurora, segundo autoridades chinesas. Em nota, a empresa informou que não foi notificada por autoridades chinesas e afirmou que segue todas as normas sanitárias.

Filipinas suspendem compra de frango do Brasil por medo de coronavírus

A companhia informou não ter sido oficialmente notificada pelo governo chinês de qualquer contaminação em seus produtos

As Filipinas suspenderam nesta sexta (14) a importação de carne de frango do Brasil depois que uma cidade chinesa informou ter encontrado vestígios do novo coronavírus numa embalagem de asa de frango congelada vinda de um frigorífico brasileiro.


A decisão foi publicada pelo Departamento de Agricultura das Filipinas. O órgão informou que a medida é transitória, mas não detalhou por quanto tempo a proibição será aplicada. Segundo o governo filipino, a medida foi tomada por precaução e todo o frango importado pelo país é segura para o consumo.


Possível fonte da contaminação, a Cooperativa Central Aurora Alimentos reiterou o comunicado emitido ontem. A companhia informou não ter sido oficialmente notificada pelo governo chinês de qualquer contaminação em seus produtos, reiterando que, até agora, só tomou conhecimento do problema por meio de uma notícia veiculada na imprensa local da cidade de Shenzhen.


O Ministério da Agricultura do Brasil não emitiu nenhuma nota sobre a decisão do governo filipino. Ontem (13), a pasta informou ter pedido explicações ao governo chinês sobre o frango supostamente contaminado.

or meio de nota, a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) também ressaltou não ter sido notificada pelos governos da China e das Filipinas. A entidade comprometeu-se a apoiar o Ministério da Agricultura na prestação dos esclarecimentos e reiterou que os exportadores brasileiros tomam todas as medidas para proteger os trabalhadores e garantir a ausência de risco dos produtos durante a pandemia.


A associação destacou não haver evidências científicas de que o vírus seja transmitido por carne congelada. O comunicado citou a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO), a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.