Ads Top

Cala a boca! diz Bolsonaro para repórter


A troca no comando da Polícia Federal (PF) do Rio de Janeiro pelo novo diretor-geral nomeado por Jair Bolsonaro, Rolando Alexandre de Souza, reforçou as suspeitas de interferência do mandatário nas investigações que são de seu interesse. Negando ter benefícios na troca do comando da PF do Rio, Bolsonaro mandou uma jornalista “calar a boca”.
Poucas horas após assumir o posto, Rolando começou a alterar sua equipe da PF e, entre as mudanças, já pediu para o superintendente do Rio de Janeiro, Carlos Alexandre de Oliveira, assumir a direção executiva da Polícia Federal. Com isso, um novo superintendente no Rio precisará ser nomeado.
“[Carlos Alexandre Oliveira] vai sair da superintendência para ser diretor-executivo da PF. Eu não to [sic] trocando ele, isso é uma patifaria, cala a boca não perguntei nada, jornal patife e mentirosa, cala a boca [sic]. Se eu tivesse ingerência para a PF, ele [superintendente do Rio] não iria para lá [direção executiva da PF em Brasília]”, foi a fala do presidente da República.
No Rio de Janeiro, é onde tramitam inquéritos que envolvem a família de Bolsonaro, que principalmente envolvem algo até em segredo, que brevemente será revelado. 
“O senhor pediu a troca, presidente?”, perguntou uma repórter. “Isso é uma patifaria!”, gritou Bolsonaro. “O senhor pediu alguma troca no Rio?”. “Cala a boca! Não te perguntei nada!” “O senhor pediu a troca, presidente?”, insistiu outro repórter. “Cala a boca! Cala a boca!”.

Assista abaixo o vídeo:

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.