Ads Top

ANVISA invade Brasil x Argentina em jogo válido pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2022 no Qatar; Causando confusão e VEXAME MUNDIAL

 


O jogo entre Brasil e Argentina foi interrompido aos 7 minutos, quando autoridades locais de saúde entraram em campo para tentar remover os jogadores.


Uma partida das eliminatórias da Copa do Mundo entre Brasil e Argentina foi suspensa em meio a cenas caóticas depois que autoridades locais de saúde entraram em campo no domingo em uma tentativa de remover quatro jogadores que não cumpriram as restrições do coronavírus .


A partida entre o Argentino Lionel Messi e o Brasileiro Neymar foi interrompida aos 7 minutos por causa da interrupção extraordinária. O árbitro acabou suspendendo o jogo com o placar de 0 a 0 depois que jogadores, treinadores, dirigentes de futebol e autoridades locais discutiram por vários minutos no campo da Arena NeoQuimica.




A ANVISA disse que três dos jogadores argentinos sediados na Inglaterra deveriam ter ficado em quarentena em vez de jogar a partida. A FIFA terá que determinar o que acontecerá a seguir com a eliminatória.


Antonio Barra Torres, presidente da agência de saúde do Brasil, Anvisa, disse que quatro jogadores Argentinos seriam multados e deportados por violar os protocolos Covid-19 do Brasil .


Os quatro foram colocados em quarentena pela agência de saúde do Brasil antes da partida. Apesar da ordem, três dos quatro largaram pela Argentina.


Emiliano Martinez e Emiliano Buendia, do Aston Villa, e Giovanni Lo Celso e Cristian Romero, do Tottenham, juntaram-se à seleção argentina, apesar da Premier League não querer que os jogadores sejam dispensados ​​de partidas internacionais devido à necessidade de ficar 10 dias em quarentena em um hotel no retorno. As restrições de quarentena do Brasil adicionaram outro fator complicador.


A federação de futebol da Argentina tuitou na noite de domingo a mensagem “Estamos indo para casa!” junto com uma foto da equipe, incluindo Emiliano Martinez e Buendia, embarcando em um vôo para Buenos Aires.


A TV Globo noticiou que os quatro jogadores da Inglaterra disseram à polícia brasileira no aeroporto que não preencheram a ficha de inscrição na chegada. O relatório disse que os jogadores de futebol não foram deportados e receberam permissão para voar de volta com seu time.


A agência de saúde do Brasil disse que os quatro supostamente disseram aos oficiais de imigração que nos 14 dias anteriores eles não haviam estado na Grã-Bretanha ou em qualquer outro lugar que o Brasil coloque em sua própria lista vermelha de riscos de Covid-19. Aqueles que estiveram em países da chamada lista vermelha enfrentam uma quarentena de 14 dias no Brasil.


Martinez, Romero e Lo Celso começaram a partida.


A Anvisa havia realizado um encontro no sábado envolvendo representantes regionais e nacionais do futebol para discutir a situação da quarentena.


“Naquela reunião, a Anvisa e as autoridades sanitárias locais determinaram que os jogadores deveriam ficar em quarentena”, disse a Anvisa. “Porém, mesmo após a reunião e o relato às autoridades, os jogadores participaram do treino de sábado à noite.”


A agência acrescentou que as tentativas no início do domingo de remover os jogadores e levá-los ao aeroporto foram frustradas.


“A decisão de interromper a partida nunca esteve ao alcance da Anvisa. No entanto, jogadores em campo que não cumpriram as leis e normas sanitárias brasileiras, e também ofereceram informações falsas às autoridades, obrigaram a agência a agir, a seu tempo e à sua maneira ", disse a agência brasileira.


A TV brasileira mostrou várias trocas entre jogadores e treinadores durante o caos. O técnico do Brasil, Tite, parecia o mais chateado.


“Eles tinham 72 horas antes da partida. Eles tinham que fazer isso na hora da partida! ” Tite gritou para os agentes da Anvisa.


Lionel Messi também parecia irritado. “Não falaram conosco antes”, repetiu o capitão argentino.


O Brasil convocou nove jogadores da Premier League para as eliminatórias da Copa do Mundo em setembro, mas nenhum deles viajou para a América do Sul por causa das restrições.


O técnico da Argentina, Lionel Scaloni, disse que ambas as equipes gostariam de ter disputado o jogo.


“Uma partida entre alguns dos melhores do mundo termina assim. Gostaria que as pessoas na Argentina entendessem que, como treinador, tenho que cuidar dos meus jogadores. Se as pessoas vierem dizer que precisam deportá-los, não vou permitir ”, disse Scaloni ao canal TyC Sports. “Queríamos jogar a partida, assim como os brasileiros.”


Ambas as associações nacionais de futebol emitiram declarações para criticar a medida da agência de saúde do Brasil. Os jogadores do Brasil permaneceram em campo após a saída da Argentina e começaram a fazer exercícios de treinamento. Os argentinos, incluindo os considerados de risco Covid-19, permaneceram mais de três horas em seus vestiários até a saída para o aeroporto.



A Anvisa é aquela instituição que não aprova quatro argentinos, mas libera 118 agrotóxicos proibidos no mundo civilizado.


A anvisa fez um show de aparições, lembrando que recentemente os jogadores Andreas Pereira e William que vieram para Flamengo, e Corinthians respectivamente estavam também no Reino Unido, como brilhantemente salientou o jornalista Bruno Formiga da TNT SPORTS Brasil:




Nos comentários alguns idiotas úteis tentaram lacrar, mas o que dá para perceber que querem com as restrições COVID tratar as pessoas de nacionalidades diferentes, com tratamentos diferentes pelo grau de contaminação de determinado País, e principalmente como anda a economia do País em questão. Atualmente o Brasil está melhor economicamente que a Argentina. 


Uma bagunça, uma confusão, e tudo em prol de uma agenda, que agora também chegou aos Esportes. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.