Ads Top

Confrontos violentos no Monte do Templo em Jerusalém, força a polícia da fronteira com a Síria em fechar o portão de Damasco para evitar novos tumultos enquanto o Ramadã conclui


Eclodiram confrontos entre adoradores e forças de segurança na cena do Monte do Templo, onde dezenas de milhares de adoradores muçulmanos se reuniram para marcar as últimas orações de sexta-feira do Ramadã. Relatórios iniciais indicaram vários feridos, incluindo pelo menos 12 policiais, e 35 palestinos, incluindo dois em estado grave, durante os tumultos, de acordo com a Cruz Vermelha, citada pela mídia israelense. Um dos feridos foi um oficial israelense que está em estado moderado depois de ser atingido no rosto com uma pedra. Policiais da Fronteira fecharam o Portão de Damasco, na Cidade Velha, para recuperar o controle da situação e impedir que mais pessoas se juntassem aos tumultos.


Confrontos violentos eclodiram no Monte do Templo em Jerusalém na sexta-feira, último dia do Ramadã, quando a Polícia de Fronteira fechou o Portão de Damasco.

Não há melhor maneira de celebrar o Ramadã do que atacar judeus no Monte do Templo que é ilegalmente ocupado pelos muçulmanos, e foi exatamente o que aconteceu no início do dia de hoje na capital de Israel, em Jerusalém.


"Também ele construiu altares na casa do SENHOR, do que o Senhor havia dito, em Jerusalém meu nome será para sempre." 2 Crônicas 33:4 (KJB)


Você pode ter todos os Acordos de Abraão que quiser, e Israel pode fazer as pazes com todas as nações muçulmanas na Terra, mas ainda não haverá paz no Oriente Médio até que Israel faça as pazes com os palestinos. Isso, é claro, a Bíblia nos diz que nunca, nunca acontecerá nem agora, e não no Milênio. Isso porque a "paz" que está por vir será a falsa paz bíblica, e quando Jesus retornar como Rei dos Reis, Ele expulsará os cananeus como Zacarias nos diz.


"Nesse dia haverá sobre os sinos dos cavalos, SANTIDADE AO SENHOR; e os potes na casa do SENHOR devem ser como as tigelas antes do altar. Sim, cada pote em Jerusalém e em Judá será santidade ao SENHOR dos anfitriões: e todos aqueles que o sacrifício virá e tomará deles, e o verá nele: e nesse dia não haverá mais o Canaanita na casa do Senhor dos anfitriões." Zacarias 14:20,21 (KJB)


Eclodiram confrontos entre adoradores e forças de segurança na cena do Monte do Templo, onde dezenas de milhares de adoradores muçulmanos se reuniram para marcar as últimas orações de sexta-feira do Ramadã. Relatórios iniciais indicaram vários feridos, incluindo pelo menos 12 policiais, e 35 palestinos, incluindo dois em estado grave, durante os tumultos, de acordo com a Cruz Vermelha, citada pela mídia israelense. Um dos feridos foi um oficial israelense que está em estado moderado depois de ser atingido no rosto com uma pedra.

Policiais da Fronteira fecharam o Portão de Damasco, na Cidade Velha, na tentativa de recuperar o controle da situação e impedir que mais pessoas se juntassem aos tumultos. O secretário-geral da Jihad Islâmica disse na sexta-feira que "é impossível tolerar o que está acontecendo em Jerusalém e o inimigo deve esperar nossa resposta a qualquer momento".

O Hamas também fez uma declaração na sexta-feira alertando Israel sobre possíveis repercussões dos confrontos no Monte do Templo. O líder do Hamas, Ismail Haniyeh, enviou uma mensagem direta ao primeiro-ministro.


BENJAMIN NETANYAHU DIZENDO-LHE PARA "NÃO BRINCAR COM FOGO. ESTA É UMA LUTA QUE VOCÊ, SEU EXÉRCITO, SUA POLÍCIA E TODO O SEU PAÍS NÃO PODEM VENCER. DEFENDEREMOS JERUSALÉM, NÃO IMPORTA QUAIS SACRIFÍCIOS DEVEMOS FAZER", RELATOU YNET.


Chefe da Autoridade Palestina Mahmoud Abbas disse que convocou o embaixador palestino nas Nações Unidas para exigir que o Conselho de Segurança da ONU se reunisse para discutir a situação em Jerusalém, incluindo confrontos e confrontos no Xeque Jarrah, informou Walla. O Ministério das Relações Exteriores da Jordânia condenou a entrada das forças israelenses ao Monte do Templo, e seu "ataque animalesco" de adoradores lá.


O Catar também denunciou a entrada das forças de segurança israelenses na montagem do Templo na esteira dos confrontos, chamando-o de "provocação para milhões de muçulmanos em todo o mundo", informou Ynet. O Catar passou a pedir que a comunidade internacional agisse para impedir o dano israelense ao povo palestino.


A polícia israelense informou que "as tropas policiais começaram a usar medidas de controle de motim há algum tempo, na tentativa de restaurar a ordem depois que violentos tumultos eclodiram no Monte do Templo, durante o qual centenas de suspeitos começaram a atirar pedras, garrafas e outros itens em direção às nossas forças".


"NÃO PERMITIREMOS A INTERRUPÇÃO DA ORDEM, QUALQUER FORMA DE VIOLÊNCIA E TENTATIVAS DE PREJUDICAR OS OFICIAIS ENQUANTO SE APROVEITAM DA LIBERDADE DE RELIGIÃO E A USAREMOS PARA PROMOVER UM INCIDENTE VIOLENTO QUE INCLUI CENTENAS DE ADORADORES COMEÇANDO A SE REBELAR E FERINDO POLICIAIS", DIZ UM COMUNICADO DA POLÍCIA DIVULGADO APÓS A POLÍCIA CONSEGUIR RECUPERAR O CONTROLE NO MONTE DO TEMPLO.


Mais cedo, um vídeo publicado pela KAN News mostrou adoradores agitando bandeiras do Hamas no Monte do Templo. A polícia de Israel e o IDF enviaram reforços para a capital em preparação para as quartas e últimas orações de sexta-feira do mês do Ramadã no Monte do Templo e fecharam várias ruas na área. LEIA MAIS

Jerusalém Oriental: Polícia entra em confronto com adoradores palestinos em meio a tensões contínuas pelo Portão de Damasco


co


Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.