Ads Top

Jair Bolsonaro rebate denúncia da FOLHA de SP e lista 2 únicos fatores que podem tirá-lo das eleições

"O que está em jogo? É o poder, é quem vai sentar-se naquela cadeira presidencial", afirmou o parlamentar





Em crescimento nas intenções de voto para presidente da República, e ingressando em novo partido para organizar a candidatura ao Palácio do Planalto, é a primeira vez que o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) deixa a posição de acusador para se defender de acusações.
A imagem de “político honesto”, que é difundida entre os seus seguidores como uma das principais virtudes em um cenário de Operação Lava Jato, pela primeira vez é questionada em âmbito nacional.
Reportagem do jornal Folha de S. Paulo levantou questionamentos sobre o patrimônio do deputado e dos seus filhos, que também são políticos. A publicação enumera pelo menos 13 imóveis avaliados em cerca de R$ 15 milhões, que teriam sido adquiridos com preço abaixo do mercado.
Ainda conforme a publicação, essa prática é comum quando há, com as aquisições, a intenção de sonegar impostos. Diante da polêmica instalada pelo jornal e rebatida por seguidores e adversários do deputado, uma declaração do presidenciável de 1999 foi resgatada nas redes sociais.

“Eu sonego tudo o que for possível. Eu não pago porque o dinheiro vai para o ralo”, disse o parlamentar ao programa Câmera Aberta, da Band no Rio de Janeiro.
O POVO procurou o deputado, mas a assessoria de imprensa afirmou que ele não daria entrevista para comentar as repercussões negativas dos últimos dias e que foram originadas pelo jornal paulista. Ainda ontem, no entanto, na página oficial no Facebook, Jair Bolsonaro divulgou vídeo rebatendo as acusações feitas pelo folhetim.
“Sobre isso (acusações de crescimento do patrimônio ilegal), quero alertar aos meus caluniadores que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidiu que essa denúncia foi arquivada por não conter indícios mínimos que apontem para qualquer ato delituoso da minha parte”, afirmou.
PSL
No Ceará, o PSL, que foi esvaziado com a saída do Livres, vai ser liderado pelo coordenador do movimento Direita Ceará, Heitor Freire. Ele diz que vai assumir o partido para organizar a vinda do deputado Bolsonaro ao Estado para a campanha presidencial.

Heitor, que vai se desfiliar do Patriotas para seguir o parlamentar na nova legenda, diz que as acusações contra o deputado são baseadas em “fake news” e que a publicação é “comprada” e “direcionada” por interesses específicos.
“Eu comparo (campanha midiática) à mesma campanha do (Donald) Trump nos Estados Unidos. A mídia, que nós chamamos de fake news, comprada, direcionada, vem se utilizando de declarações falsas, e até mesmo colocando na conta dele declarações que não existem, para atingir o único que ameaça o sistema corrupto implantado no País”, afirmou.
O deputado assinou compromisso de filiação ao PSL na semana passada e deve, em março deste ano, oficializar a candidatura em evento ainda a ser organizado. O próprio Bolsonaro é que tem indicado lideranças regionais do partido.
Veja o vídeo onde Bolsonaro, responde ao jornalismo fake news da Folha de SP:



Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.