Ads Top

Copa do Mundo 2018 na Rússia já é a copa mais Muçulmana da história; Possível guerra prejudica o Mundial devido Putin intervir na Síria


Ao todo, o Mundial da Rússia pode ter até sete países de maioria islâmica na população. 
Destes, cinco já estão classificados: Irã, Arábia Saudita, Egito, Nigéria e Senegal. 
Tunísia e Marrocos, se classificaram para o Mundial 2018 no último Sábado (11) Juntos, eles possuem 458 milhões de habitantes, com a maior parte seguidora do Islã.
No Irã, por exemplo, nada menos do que 99,4% da população é muçulmana, ou seja, cerca de 80 milhões de habitantes. 
TAREK ABDEL HAMID/AFP/GETTY IMAGES
Egito é outro país com grande população islâmica
Egito é outro país com grande população islâmica
O 2º colocado neste quesito é Senegal, com 95%, ou seja, mais de 14 milhões de pessoas.
Depois, aparecem Egito e Arábia Saudita, que possuem 90% de muçulmanos em suas populações.
Caso se classifiquem, Tunísia e Marrocos também chegam com porcentagens altíssimas: 99,1% de islâmicos em terras tunisianas, e 99% entre os marroquinos. 
O país que possui o menor número de muçulmanos é a Nigéria, com 50% da população. 
Ainda assim, como o país tem um número da habitantes gigantesco: 186 milhões, dos quais 93 milhões seguem o Alcorão. 
FADEL SENNA/AFP/GETTY IMAGES
Marrocos ainda tenta vaga na Copa
Marrocos ainda tenta vaga na Copa
Caso conquiste a vaga, porém, a "lanterna" nesse quesito será da Costa do Marfim, com 42% de população muçulmana.
A diferença para a última Copa é notável. Em 2014, houve apenas cinco países de maioria islâmica, sendo que em três a porcentagem não era tão alta: 51% em Bósnia & Herzegovina, 50% na Nigéria e 42% na Costa do Marfim. 
Os outros eram Irã e Argélia, estes sim com mais de 90% de população muçulmana.
Vale lembrar também que a Rússia possui 15% de islâmicos em sua população, ou seja, quase 22 milhões de pessoas.
Logo, somando os sete países que podem se classificar mais a nação sede, são mais de 400 milhões de muçulmanos.
  • Medo de atentados é grande
REPRODUÇÃO/TWITTER
Propaganda do 'Estado Islâmico' usando imagem de Lionel Messi circulou pelas redes
Propaganda do 'Estado Islâmico' usando imagem de Lionel Messi circulou pelas redes
Se no Brasil o medo de atentados terroristas praticamente não existiu, na Rússia o temor de que eles possam acontecer é grande - principalmente pelas ações recentes da nação comandada por Vladimir Putin na Síria, uma das principais bases do temido grupo "Estado Islâmico", em apoio ao ditador Bashar Al-Assad. 
Por isso, os russos já preparam seus militares para identificarem e combaterem possíveis jihadistas que tentem agir durante a realização do torneio da Fifa.
Isso não impediu, porém, que em abril deste ano, um atentado a bomba no metrô se São Petersburgo, uma das principais cidades da Rússia e sede de diversos jogos da Copa, deixasse 15 pessoas mortas. Já em agosto, sete pessoas foram esfaqueadas na Sibéria por um homem que alegou pertencer ao "Estado Islâmico". 
AL-FURQAN MEDIA/GETTY IMAGES
'Estado Islâmico' promete atentados na Rússia
'Estado Islâmico' promete atentados na Rússia
"Há medo real de um ataque na Rússia", ressaltou Alexander Golts, expert em segurança russa, à AFP.
Segundo o FSB (Serviço Federal de Segurança) da Rússia, há quase 3 mil potenciais jihadistas vivendo no país, sendo que a maioria foi treinada recentemente pelo "Estado Islâmico" na Síria.
Segundo o diretor do FSB, Alexander Bortnikov, no entanto, as forças de seguranças russas estão prontas para agir e possuem uma rede de inteligência que já desmontou possíveis atentados já na Copa das Confederações 2017.
Enquanto isso, o "Estado Islâmico" tenta espalhar o terror usando a internet.
No final de outubro, por exemplo, o grupo espalhou nas redes sociais imagens fortes de atletas famosos, como Messi, Cristiano Ronaldo e Neymar, sendo presos, torturados ou decapitados, em fotos que correram o mundo e deixaram o clima ainda mais pesado antes da Copa do Mundo de 2018. 

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.