Ads Top

Censura: mídias independentes Russas tem motivos para pedir indenização ao Twitter pelos lucros perdidos com propaganda no microblog

O grupo de trabalho para a defesa da soberania do Conselho da Federação (câmara alta do parlamento russo) recomendou que a mídia russa não publique anúncios publicitários no Twitter.
"Como resposta simétrica à discriminação da mídia russa nos EUA, recomendamos que se abstenham de publicar anúncios no Twitter", disse o chefe do grupo de trabalho, Oleg Morozov.
Além disso, segundo a senadora Olga Kovitidi, a mídia russa tem todos os motivos para pedir indenização ao Twitter pelos lucros perdidos.
A discussão contou também com a participação do chefe do Serviço Federal de Vigilância na Área de Comunicações, Tecnologias da Informação e Meios de Comunicação Social (Roskomnadzor), Aleksandr Zharov. De acordo com ele, a instituição russa tem todas as ferramentas para uma resposta simétrica adequada.
"O Roskomnadzor possui ferramentas suficientes para dar uma resposta simétrica adequada, caso a pressão sem precedentes contra a mídia — [o canal] RT e [agência] Sputnik — continue", sublinhou.
Quanto às possíveis medidas de resposta, o vice-presidente do Comitê de Defesa e Segurança do Senado russo, Frants Klintsevich, ressaltou que elas serão "duras".
"Não deixaremos sem resposta as restrições contra RT e Sputnik. As restrições de resposta serão adequadas, mas duras", disse, acrescentando que tais medidas serão aplicadas em relação às mídias dos EUA na Rússia, incluindo CNN.
Em 26 de outubro de 2017, a empresa Twitter, proprietária da rede social do mesmo nome, anunciou a decisão de cortar toda a publicidade das contas ligadas à agência de notícias Sputnik e ao canal de televisão RT. A causa disso seria a suposta interferência destes meios de comunicação nas eleições presidenciais nos Estados Unidos em 2016. O anúncio do Twitter indignou as autoridades e os políticos russos, que afirmam que o seu país nunca interferiu em eleições.
fonte: Sputnik

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.