Ads Top


As coisas que estão em vermelho são meios de DOUTRINAÇÃO, enquanto as outras coisas que visam promover métodos "científicos" sem um protocolo real de avaliação de eficácia e eficência, pregam uma total oposição ao método científico clássico, por meio da observação e avaliação das teorias e hipótese propostas. O método científico clássico, com base nas observações materiais e empíricas, passa a ser classificado como anti-humano, robotizador, e que deve ser combatido a todo custo por essas "novas formas de saber".

Destaco duas apresentações que me fizeram soar frio.
A primeira é a do Teólogo, o senhor tem 91 anos, e é católico (em teoria). De acordo com ele, a igreja deve abraçar esses novos tempos e as reformas de Francisco tem a empurrado nesse sentido. Os textos sagrados são frutos da experiência de outros homens, e é tempo para que a experiência desse novo coletivo constitua um novo espírito cristão. O multiculturalismo é a regra, já que todos somos filhos de deus. O termo adotado pelo mesmo foi "transdisciplinaridade" e ele usa os eventos de reforma da década de 50 até o ano 1962 como referência. 
O chocante é que o mesmo disse: lamentavelmente as faculdades católicas retrógradas no Brasil apresentam resistência para algumas dessas ideias, se você não aceita o espírito coletivista, você é um monstro, não é um humano por não aceitar outros humanos.
Muita gente bateu palma e ficou entusiasmada com a sua frase.

A segunda apresentação foi dessa professora discutindo homofobia, o discurso era clássico: a sociedade anterior era retrógrada, tradicionalismo não presta, citou a escola de Frankfurt e Gramsci, disse que o homofóbico é anti-amor, a ciência é materialista, o universo é infinito e não sabemos 1%, capitalismo, precisamos pensar além do material...o discurso mais script que sabemos desse pessoal.
A pérola dessa vez foi: sou anti-aborto e a favor da legalização
Motivo: as coisas só são ruins pq existem leis que dizem que são ruins, com a legalização, o aborto se tornaria algo rotineiro, e portanto, haveriam menos efeitos negativos. SÉRIO! é o mesmo argumento que usam para as drogas.
O engraçado é que o discurso é feito como se os homens de antigamente sempre tivessem privilégios. Nunca dizem que: os homens eram obrigados à servir à pátria, trabalhar em prol da família e da nação. O peso de todo um país estava nos ombros de todos os homens, e para as mulheres haviam as tarefas domésticas e administrativas do lar. 
Isso também não era regra, existiam famílias onde as mulheres tinham professores particulares pagos pelos maridos, responsáveis pela educação e valorização intelectual.

Dentre as outras bizarrices, está a palestra dos moradores de rua. Nessa palestra, o rapaz adorava Paulo Freire e o referenciava sempre, deixando o seguinte plano que pode ser da NWO claro: Quando um local privado participa de uma ação "beneficente", ele ganha isenção fiscal. Vejam, o Estado é ineficiente e gasta bilhões sabe-se lá com o que, para cobrir sua ineficiência, ele concede esses "brindes" para empresas. Com isso, o espírito coletivista cresce, e o Estado, que causa o problema e vende a solução, fica como agente oculto, no fim desses tempos, vamos ter esse espírito coletivista cada vez mais presente na sociedade, que por sua vez vai estar cada vez mais decadente e viciada, enquanto o Estado torna o que é bom e inovador no campo tecnológico e financeiro cada vez mais elitizado à uma minoria, e quando a maioria coletivista despertar para essa realidade ("Elysium"), vai ser tarde demais.

Por fim, temos o caso da imposição de mãos. Extremamente questionável, pregada por uma cirurgiã doutora e psicanalista que no final ofereceu o curso de 1 dia custando 90 reais. 

Eles defendem que o método científico-tecnológico tradicional é escravizador, pq o operador não tem autonomia diante da sua operação, o que é absurdo, pq todo padrão irá treinar o operador com finalidade de garantir a qualidade. Dependendo do empenho, as instituições e empresas oferecem cursos e meios do operador crescer na empresa.
Eles defendem que a revolução industrial foi absurdo - e até um crime - pq as pessoas trabalhavam dia e noite em fábricas. Talvez estariam melhor passando fome como antes, no maior estilo soviético.

Considerações diante do problema
Na raiz do espírito desse movimento da nova Era e anti-tradição, está igualmente um espírito anti-ciência. Estão moldando uma nova religião com base na nova Era, estão moldando um mundo de relativismo, a realidade não possui ação prática e é mutável de acordo com a vontade humana ao longo da história.
As culturas são todas iguais, uma tribo africana que arranca o clitoris não é diferente de uma cultura clássica grega que esculpia em mármore.
Colegas, nem Aleister Crowley chegou a esse ponto de insanidade. Crowley aceitava que a realidade possui uma base sólida que pode ser modificada pela ação do magista, no entanto, ela tende a ser passageira, ele aceitava as leis naturais "há de ser o todo da lei". Crowley de forma alguma disse que um homem pode ser mulher, avião, prédio, um helicóptero de ataque ou um T-90. Acreditem ou não, estamos aceitando um nível de racionalidade pior que a thelema. (NOTA PARA ADMISTRAÇÃO: CITO CROWLEY AQUI COMO EXEMPLO, NÃO ESTOU "PREGANDO" NADA! - já me notificaram por menos)
Existe uma nova crença para uma velha política falida que irá nos destruir. Essa nova crença utiliza jargões chineses do yin-yang para justificar as variantes sexuais, utiliza de jargões científicos (DNA, física quântica, sem sequer saberem do que se trata) para descrever métodos não comprovados (E que nem possuem formas padronizadas de avaliação) e a cereja do bolo é uma nova espiritualidade, utilizando jargões espíritas kardecistas e cristãos. O que chamamos de ocultismo clássico não existe entre esses grupos, pode ser que as variantes da alquimia esteja nas esferas mais altas de organização, no entanto, nas mais baixas é uma espiritualidade de esquina, o que é preocupante, pois haviam ali muitas pessoas claramente desesperadas por algo que justifique sua existência (e endinheiradas também).


Existe solução?
Como debatermos com novos fanáticos religiosos relativistas? esse é o público alvo de um novo debate que está para surgir. Eles estão crescendo, recrutando pessoas em todos os lugares de formas direta ou indireta, alguns mascaram o discurso e outros já o dizem abertamente. De qualquer forma, seja a área que você atue, não podemos abaixar a cabeça para uma catástrofe iminente. Estamos correndo o risco de jogar milênios de tradição científica e filosófica no lixo, em prol de novas concepções que irão escravizar a mente humana.
É o que Gramsci queria, uma revolução pelo domínio da mente das pessoas, e para isso nada melhor do que dominar todo o sistema educacional. Dessa maneira as pessoas são doutrinadas em todas as etapas do ensino.

Quando eu estava na universidade, perguntei para meu professor de ciência politica, se as faculdades não estavam tomadas por professores de tendência esquerdista. A resposta não poderia ser outra, foi afirmativa. E o pior é ver a decadência moral, espiritual e a desconstrução o de tudo o que foi construído aos longos dos séculos para que eles detenham os meios de evolução pelas regras e leis que eles acreditarem que são reais.
É o fundo do abismo. Sem contar os exemplos que citavam...colocaram uma biografia do Einstein que a tempos sabemos que não foi assim, onde diziam que ele era burro, desprezado na escola e expulso. Isso é falso! Einstein sempre foi um excelente aluno, só não concordava com algumas metodologias particulares de uma ou outra disciplina.
O resumo da ópera é: a espiritualidade nova abre grandes portas, nós conhecemos e detemos o poder dessa espiritualidade, e você pode fazer parte dela. Os outros são os outros enquanto puderem ser, algum dia iremos alcançá-los de alguma maneira.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.